Empresa se propõe a financiar festa de casamento em até 10 mil dólares se o casal não se divorciar

Os casais que se divorciarem, depois de aceitar o dinheiro da empresa "serão obrigado a pagar o montante financiado com juros incorridos até a data", segundo o site da empresa. A diretoria acredita que esta iniciativa possa ajudar os casamentos a serem mais duradouros.

Fonte: Guiame, com informações do Christian PostAtualizado: terça-feira, 22 de dezembro de 2015 18:45

Se você está planejando se casar nos próximos dois anos, uma empresa norte-americana baseada em Seattle está se oferecendo para financiar os custos da festa e da cerimônia até 10.000 dólares, contanto que você não se divorcie.

Os casais que se divorciarem, depois de aceitar o dinheiro da empresa "serão obrigado a pagar o montante financiado e incorridos juros até à data", segundo o site da empresa SwanLuv. A diretoria acredita que esta iniciativa possa ajudar os casamentos a serem mais duradouros.

O site afirma: "100% do dinheiro arrecadado dos clientes que se divorciam, depois é usado para fornecer fundos para casamentos dos sonhos dos de outras pessoas".

A empresa, que tem previsão de lançamento em fevereiro de 2016, está à procura de casais potencialmente aptos para solicitar financiamento on-line onde eles "aproveitam os dados on-line e a tecnologia de software algoritmo para avaliar rapidamente em quanto exatamente ficaria a festa de casamento a ser financiada".

A empresa particularmente encoraja os casais que acreditam "ter encontrado sua alma gêmea e precisam de ajuda para fazer o seu casamento dos sonhos, uma realidade" a preencherem seus formulários e observa que eles também irão oferecer aconselhamento matrimonial gratuito.

O site 'Christian Post' questionou a empresa sobre a quantidade de casais que solicitaram o financiamento, com objetivo também de saber mais sobre o processo, mas o CEO e fundador da empresa, Scott Avy disse que estava lidando com uma "demanda explosiva" sobre o serviço neste momento e não pôde uma entrevista.

"Infelizmente, lamento informá-los que eu não vou poder participar de entrevistas adicionais no momento. A demanda explosiva por serviços / inscrições da SwanLuv estão consumindo todo o meu tempo disponível", escreveu Avy em um e-mail para o site internacional de notícias.

Avy já disse ao Washington Post que a gama de juros cobrada para aqueles que se divorciam "não será abusiva".

Ele disse que teve a ideia para sua empresa depois de ver que um companheiro de quarto recentemente estava se queixando sobre os custos do casamento e não acreditava que o dinheiro deveria ser um obstáculo para a celebração do amor.

"Eles se encontraram para a vida", disse Avy. "Isso é o que nós estamos tentando manter com a proposta: o casamento eterno".

Respondendo às preocupações sobre o seu modelo de negócio, Avy disse: "Nós não estamos forçando ninguém a se inscrever... O feedback tem sido extremamente positivo. Eu recebi centenas de e-mails me dizendo o quão significativa é esta iniciativa..."

Avy não revelou ao 'Washington Post' se ele tinha algum investidor ou quantos casais são esperados para receber cheques no lançamento oficial da promoção. Existe uma cláusula no contrato a ser assinada por casais que apenas uma pessoa será cobrada se o abuso for a causa do divórcio.

De acordo com o site 'costofwedding.com', o custo médio do casamento nos Estados Unidos é 26.444 dólares. Os casais, diz o site, geralmente gastam entre $ 19.833 e $ 33.055. Mas a maioria dos casais gastam menos de US $ 10.000. Os números não incluem os custos da lua de mel.


Contextualização
Por mais que o ponto de vista sobre a notícia desconsidere a possível "ilusão" sobre as intenções do empresário norte-americano em simplemente "manter os casamentos mais duradouros", o clima de "desafio" para manter o casamento em que a promoção se situa é alarmante.

Apenas no ano de 2014, mais de 813 mil casais norte-americanos se divorciaram ou anularam seus casamentos, segundo o Sistema Nacional de Estatísticas dos EUA, atingindo uma taxa de 3.2 a cada mil habitantes.

Já no Brasil, estes números são um pouco menores, mas não menos alarmantes. Segundo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) o CENSO 2010 informou que a taxa geral de divórcios no Brasil atingiu o seu maior índice em 26 anos: 1,8 a cada mil habitantes.

 

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições