Ensine seu filho a lidar com dinheiro

Ensine seu filho a lidar com dinheiro

Atualizado: Terça-feira, 27 Abril de 2010 as 12

Além de saúde, o que mais você deseja de bom para seu filho no futuro? Felicidade e dinheiro, claro! Por isso, ao ensinar a crianças e adolescentes o valor do dinheiro, os pais estão garantindo uma vida adulta feliz.

Na opinião do educador financeiro Reinaldo Domingos, autor do livro O Menino do Dinheiro (Editora Gente), boa parte dos motivos que levam um adulto a se endividar está na infância ou na juventude, quando ele ainda não aprendeu a poupar e a resistir ao consumo exagerado. "O apelo das propagandas leva o jovem a querer comprar mais, e muitas vezes são coisas que ele nem desejava ter", diz Domingos. Veja como ensinar a importância do dinheiro e como economizar em cada idade.

Até os 7 anos

Incentive seus filhos a guardar as moedinhas

Como agir

- Presenteie seu filho com um cofrinho e incentive-o a depositar moedinhas nele. Diga que, quando estiver cheio, ele poderá comprar aquele brinquedo desejado. E lembre-se de cumprir o prometido assim que ele juntar o dinheiro.

- No supermercado, ensine seu filho a fazer as escolhas começando do mais importante para o menos. E, mesmo que você possa comprar tudo o que ele quer, negocie.

- Caso a família esteja sem dinheiro, não tente poupar seu pimpolho das consequências. Para não frustrar a criança, há pais que gastam o que não têm! Chame seu filho para uma conversa e explique que, por um tempo, vão ter que economizar.

- Ao comprar uma bala, um sorvete ou uma figurinha para a criança, explique que isso só é possível porque o papai e a mamãe trabalham para ganhar aquele dinheiro. A partir dos 5 anos, você já pode começar a ensinar quanto vale cada nota e o que é o troco.

- A criança vai começar a se comparar com os colegas. Quando seu filho disser "meu amiguinho tem, eu também quero", em vez de sair correndo para comprar, faça-o compreender que ele também possui brinquedos que o amigo não tem e que não deve ficar se comparando com ninguém.

Dos 8 aos 14 anos

Como agir

- Este é o momento de começar a dar uma mesada à criança para que ela aprenda a administrar sozinha o próprio dinheiro. Estabeleça um valor semanal ou mensal (não precisa ser muito, o ideal é R$ 1 por ano de idade, por semana) para seu filho gastar com as coisinhas dele e explique que ele será responsável pelo controle dessa quantia.

- Caso ele gaste toda a mesada (ou semanada) de uma vez, evite dar dinheiro fora do dia combinado, mesmo que ele implore, dizendo que a turma vai ao cinema e ele terá de ficar de fora do programa. Em último caso, se não puder deixar de socorrê-lo com um extra, desconte o valor da próxima mesada.

- Estimule seu filho a poupar parte do que recebe para conquistar um sonho no futuro. Ele quer muito uma bicicleta, um videogame? Então, ajude-o a definir qual é o objeto do desejo dele e em quanto tempo ele conseguirá juntar o montante necessário para comprá-lo. Sempre que ele quiser gastar com algo menos importante, lembre-o da meta!

- Para incentivar ainda mais a economia, combine de depositar no cofrinho dele a mesma quantia que ele conseguir poupar num mês. Assim, se ele economizar R$ 20 em seis meses, colabore com o mesmo valor no mês seguinte. Não precisa fazer isso sempre, só quando seu bolso permitir.

- Uma vez por mês, sente-se com seu filho e converse sobre o orçamento da casa. Mostre toda as despesas domésticas. Explique, por exemplo, que, se ele demorar no banho, as contas de luz e de água virão mais caras no mês seguinte, e sobrará menos dinheiro para passeios e outras coisas legais que a família gosta de fazer unida. Uma excelente lição, não é verdade?

A partir dos 15 anos

Como agir

- Estimule-o a ter vontade de ganhar o próprio dinheiro. Se ainda for muito novo para ter emprego fixo, pode fazer pequenos trabalhos.

- Aos poucos, passe para ele a responsabilidade de arcar com certas despesas, como colocar crédito no celular ou pagar uma das contas da casa.

- O ideal é abrir uma poupança em nome dele em um banco, para que ele próprio deposite um valor mensal.

- Se sua filha pedir para você pagar uma dívida em uma loja, por exemplo, não negue ajuda. Vá com ela renegociar o prazo, mas não quite nem transfira a dívida para você.

- Dê ao seu filho o mesmo padrão de vida do restante da família. Nada de comprar para ele um celular que custa o que você ganha por mês, concorda?

por Suzana Dias

veja também