Envelhecendo com qualidade

Envelhecendo com qualidade

Atualizado: Quarta-feira, 20 Julho de 2011 as 10:06

Ficar em casa esperando o tempo passar, fazer tricô numa cadeira de balanço e cuidar dos netos já não são as atividades preferidas há algum tempo dos muitos milhões de pessoas que vivem na terceira idade, ou, como preferem, "na melhor idade". As opções das "vovós modernas" são muitas: dança, teatro, excursões, faculdades, cursos de artes, exercícios físicos, entre outras. Hoje em dia, diversos setores estão se especializando nesse mercado, que cresce a cada dia.  

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgados em 2002, há no Brasil quase 15 milhões de pessoas com 60 anos ou mais de idade ? o que representa 8,6% da população do Pais. A expectativa dos especialistas é que o número de idosos, no final da primeira década do século XXI, represente 10% da população brasileira.  

Para a secretária-geral da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG), drª Silvia Pereira, todas as pessoas devem exercitar o corpo e a mente desde que nascem, mas como isso deve ser feito depende de cada um.  

"Os exercícios físicos e as atividades melhoram a qualidade de vida, mas não é algo obrigatório. Os idosos devem colocar em prática o que os faz se sentir bem. Há pessoas que preferem ficar em casa lendo, vendo televisão e, se elas são felizes assim, não tem o menor problema", explica drª Silvia, também professora de geriatria da Universidade do Grande Rio (Unigranrio).  

A secretária-geral da SBGG informa que as atividades como sair e ter contatos com outras pessoas, desde que não forçadas, melhoram a atenção, a compreensão do mundo e estimulam o pensamento, que não ficam restritos aos problemas familiares.  

A dança, segundo ela, ajuda no equilíbrio, no ritmo, melhora a freqüência cardíaca, entre outros benefícios. Entretanto, a doutora alerta que todos os exercícios físicos, sejam eles caminhada, hidroginástica, ginástica, bicicleta, entre outros, devem ser feitos regularmente para que haja melhora na saúde.  

"As atividades devem ser feitas, sempre com orientação médica, pelo menos quatro vezes na semana. Caso contrário, é apenas prazeroso", revela.  

Jovialidade aos 70  

A pensionista Antonieta Calsolares Pacheco, de 70 anos, freqüenta um clube dedicado à terceira idade há quase 20 anos e diz que a companhia das amigas e as atividades da instituição fazem com que ela se sinta mais jovem.  

"O clube já faz parte da minha vida. Quando não vou, fico até triste. Todas as pessoas da terceira idade devem procurar um lazer para se distrair, principalmente aquelas que moram sozinhas como eu", aconselha.  

Antonieta, que também faz hidroterapia para aliviar as dores na coluna, melhorar a articulação e evitar o reumatismo, diz que procura sempre participar das atividades. "Conheço todos lá e sempre me divirto. Procuro sempre estar presente nas reuniões, festas e brincadeiras. Adoro principalmente dançar e os passeios", diz.

veja também