Espere a sua vez para falar

Espere a sua vez para falar

Atualizado: Sexta-feira, 2 Janeiro de 2009 as 12

Para algumas pessoas o ato de esperar a vez para falar pode ser algo muito difícil. Pessoas que atravessam a conversa de outras, acabam se tornando muito inconvenientes, mesmo porque a regra básica da boa educação é não ser inconveniente.

Nunca é tarde para aprender algo bom, pois quem é aquele que está pronto? É pronto para exercer o que? A verdade é que sempre haverá algo para conquistar. O ser humano sempre se encontra em fase de aprendizado.

Pessoas adultas que não tem educação e limites, precisam ser humildes para reconhecer o quanto precisam aprender. Não importa se na infância não tiveram oportunidades, hoje é tempo sempre.

Reprimir os impulsos instintivos, diminuir as infantilidades, manhas, birras, desrespeitos, enfim, saber aproveitar o tempo para se tornar uma pessoa melhor para si mesmo e para os que o rodeiam.

Não há nada mais triste do que ter a fama de "chato".

É necessário ser humilde para reconhecer o erro e corajoso para mudar mas os frutos da transformação aparecem quase que de imediato. Pessoas birrentas, irritantes, teimosas, desrespeitosas, invasoras, arrogantes e orgulhosas perdem com facilidade o autocontrole. Dentro de si normalmente sentem prazer em transgredir regras de convívio social.

A falta de sensibilidade para perceber que está ferindo alguém ou está sendo intolerante, pode ser falta de referências positivas. Um percentual significativo de especialistas na área da psicologia e da pedagogia, se retratam sobre o questão da seguinte forma: pais mal posicionados em seu papel de pais aumentam a probabilidade de desenvolver um filho com dificuldades de convivência social. Isso se estende a fase adulta e madura.

Pessoas constantemente mal educadas cansam e desgastam relações humanas. Acabam criando desequilíbrio afetivo-emocional entre as pessoas que convivem. Por uma questão até de educação, as pessoas acabam se distanciando.

Pais não podem ser impotentes para chamar a atenção dos filhos quando percebem intolerância de caráter. Eles precisam incentivar seus filhos a refletirem com crítica analisando aquilo que certo ou errado, bom ou ruim. Não só pare ele, mas também para as pessoas que vivem ao seu redor.

veja também