Estresse: Um Componente da vida Moderna

Estresse: Um Componente da vida Moderna

Atualizado: Terça-feira, 23 Novembro de 2010 as 2:31

"Ensina-nos a contar os nossos dias, para que alcancemos coração sábio ".(Salmo 90:12)

Aqui o salmista pede a Deus para saber usar sabiamente o seu tempo, quem não se organiza, ou não estabelece limites em sua vida, pode ser uma vítima do estresse.

"Remindo o tempo, porque os dias são maus ". (Efésios 5:16)

Use o seu tempo da melhor maneira possível e não seja usado por ele, viva o melhor de Deus dentro do tempo que o próprio Deus nos deu.

Rick Warren disse "Nos não temos tempo para outra coisa a não ser fazer a vontade de Deus ".

O estresse é um componente da vida moderna e está cada dia mais presente, muitas vezes é um aliado na superação de desafios, mas cronicamente pode causar danos importantes para a saúde física e mental.

O ativismo e a agitação da vida tecnológica tem trazido algumas situações que o se humano moderno não sabe lidar, uma delas é o estresse. O trânsito, a insegurança no emprego, a violência,fazem com que recebamos cargas diárias de estresse. Mas o estresse em si não é algo ruim, na verdade ele é uma importante resposta do organismo para a manutenção da vida. Temos que aprender a reconhecer e vivenciar nossos limites, a não permitir que o estresse traga conseqüências danosas para a nossa saúde.

O que é o estresse?

O estresse é uma resposta do organismo frente a um perigo, que prepara o corpo para fugir ou lutar. Está presente em todas as pessoas saudáveis, até nos animais o estresse está presente com a finalidade de preservação da espécie, como por exemplo, para fugir de um predador. Hoje há muitas outras coisas que disparam o gatilho do estresse, que podem ser externas ou internas, agudas ou crônicas. A externas incluem condições físicas adversas (como dor, frio ou calor excessivos) e situações psicologicamente estressantes (más condições de trabalho, problemas de relacionamentos, insegurança, etc). Entre as internas estão também as condições físicas (doenças em geral).

O estresse agudo é uma reação a uma ameaça imediata, que pode ser qualquer situação que é experimentada como um perigo. Algumas pessoas, por exemplo, tem verdadeiro pavor de viajar de avião, e quando o fazem, apresentam um estresse passageiro. Na maioria dessas circunstâncias de estresse agudo, uma vez eliminado o fator estressante, a resposta do organismo se inativa e os níveis dos hormônios voltam ao normal. Entretanto, a vida moderna freqüentemente nos expõe a situações cronicamente estressantes, e a resposta do organismo ao estresse não é suprimida. Dentre os fatores estressantes crônicos, estão a pressão no trabalho, problemas de relacionamento, solidão, problemas financeiros e a insegurança.

Quais os efeitos biológicos do estresse?

O estresse tem um importante papel no desempenho de atividades como competições esportivas, reuniões importantes, ou em situações de perigo, em que o estresse pode ser um importante aliado proporcionando um aumento da capacidade física, raciocínio, memória e concentração através de alterações em todo o organismo. Entretanto, se o estresse se torna persistente, contínuo, todo esse aparato biológico pode ser danificado.

Os efeitos danosos do estresse persistente

Efeitos psicológicos.

Estudos sugerem que a incapacidade de se adaptar ao estresse, está associada ao início de depressão ou ansiedade. Parece que a liberação repetida do hormônio de estresse diminui a liberação de serotonina, uma substância importante para a sensação de sentimentos de bem estar. Certamente o estresse diminui a qualidade de vida reduzindo os sentimentos de prazer e realização, e os relacionamentos são freqüentemente prejudicados.

Efeitos físicos.

Aumento da pressão arterial; Maior risco de derrame; Maior susceptibilidade a infecções; Distúrbios gastrointestinais, como diarréia e constipação; Desordens alimentares, ganho ou perda excessivos de peso; Resistência à insulina que está associada ao diabetes tipo 2, e exacerbação do diabetes; Dor de cabeça do tipo tensional; Insônia; Diminuição do desejo sexual e impotência temporária nos homens; Exacerbação da tensão pré-menstrual; Diminuição da concentração, inibição do aprendizado e redução da memória; Exacerbação de lesões de pele, como por exemplo, à acne. Como lidar com o estresse

Observe sempre:

O que funciona para uma pessoa, não necessariamente funcionará para todo mundo.

O estresse pode ser tanto negativo como positivo. O estresse apropriado e controlado melhora o interesse e motiva o indivíduo, e a falta de estresse pode levar ao tédio e depressão.

E finalmente, um médico ou psicólogo deve ser procurado quando forem identificadas condições físicas e psicológicas associadas ao estresse, como sintomas cardíacos, dor significativa, ansiedade, ou depressão.

Dieta saudável

Uma dieta saudável é essencial para qualquer programa de redução do estresse. A saúde em geral e a resistência ao estresse podem melhorar com uma dieta rica em cereais integrais, vegetais e frutas, e evitando o abuso álcool, cafeína e cigarro.

Exercícios

O exercício físico é uma ótima maneira de se distrair dos eventos estressantes. E o estresse lesa menos a saúde geral em pessoas fisicamente ativas. Procure uma atividade que proporcione prazer, algumas sugestões são: ginásticas aeróbicas, caminhadas, natação. Mas comece devagar e vá aumentado a intensidade e a freqüência gradualmente.

Relaxe através de técnicas específicas, como exercícios de respiração profunda, prestando atenção na respiração e respirando profunda e lentamente; relaxamento muscular, em uma posição confortável concentre-se em cada parte do corpo e sinta os músculos se relaxando totalmente, procure um massagista em quem você confia.

Considere todas as possíveis opções:

Escutar música; Tirar férias; Se a fonte do estresse for em casa, fique um tempo à toa, mesmo se for apenas uma ou duas horas por semana; Substitua o tempo desnecessário com o trabalho por atividades interessantes e agradáveis; Tenha tempo para o lazer e para cuidar de você. É importante encarar os eventos cotidianos de uma maneira diferente. Mantenha um senso de humor durante as situações difíceis, o riso não somente ajuda a aliviar a tensão e manter as perspectivas, mas também parece ter um efeito físico que reduz os níveis do hormônio do estresse.

Teste para Reconhecer o Estresse

Fase I – Alerta (alarme)

É a fase de contato com a fonte de estresse, com suas sensações típicas na qual o organismo perde o seu equilíbrio e se prepara para enfrentar a situação estabelecida em função de sua adaptação. São sensações desagradáveis, fornecendo condições para reação à estas sendo fundamentais para a sobrevivência do indivíduo.

Para identificá-la, assinale no interior das caixinhas, os sintomas que tem experimentado nas ÚLTIMAS 24 HORAS:

( ) Mãos e/ou pés frios

( ) Boca Seca

( ) Nó ou dor no estômago

( ) Aumento de sudorese (muito suor)

( ) Tensão muscular (dores nas costas, pescoço, ombros)

( ) Aperto na mandíbula/ranger de dentes, ou roer unhas ou ponta de caneta

( ) Diarréia passageira

( ) Insônia, dificuldade de dormir

( ) Taquicardia (batimentos acelerados do coração)

( ) Respiração ofegante, entrecortada

( ) Hipertensão súbita e passageira (pressão alta súbita e passageira)

( ) Mudança de apetite (comer bastante ou Ter falta de apetite)

( ) Aumento súbito de motivação

( ) Entusiasmo súbito

( ) Vontade súbita de iniciar novos projetos

ALERTA –> Na ocorrência de 7 (SETE) ou mais itens na FASE I

Fase II – Resistência (luta)

Fase intermediária em que o organismo procura o retorno ao equilíbrio. Apresenta-se desgastante, com esquecimento, cansativa e duvidosa. Pode ocorrer nesta fase a adaptação ou eliminação dos agentes estressantes e conseqüente reequilíbrio e harmonia ou evoluir para a próxima fase em conseqüência da não adaptação e/ou eliminação da fonte de estresse.

Para identificá-la assinale no interior das caixinhas, os sintomas que tem experimentado no ÚLTIMO MÊS:

( ) Problemas com a memória, esquecimentos

( ) Mal-estar generalizado, sem causa específica

( ) Formigamento nas extremidades (pés ou mãos)

( ) Sensação de desgaste físico constante

( ) Mudança de apetite

( ) Aparecimento de problemas dermatológicos (pele)

( ) Hipertensão arterial (pressão alta)

( ) Cansaço Constante

( ) Aparecimento de gastrite prolongada (queimação no estômago, azia)

( ) Tontura, sensação de estar flutuando

( ) Sensibilidade emotiva excessiva, emociona-se por qualquer coisa

( ) Dúvidas quanto a si próprio

( ) Pensamento constante sobre um só assunto

( ) Irritabilidade excessiva

( ) Diminuição da libido (desejo sexual diminuído)

RESISTÊNCIA –> Na ocorrência de 4 (quatro) ou mais dos itens na FASE II

Fase III - Exaustão (esgotamento)

Fase "crítica e perigosa", ocorrendo uma espécie de retorno a primeira fase, porém agravada e com comprometimentos físicos em formas de doenças.

Para identificá-la assinale no interior das caixinhas, os sintomas que tem experimentado nos ÚLTIMOS 3 (TRÊS) MESES:

( ) Diarréias freqüentes

( ) Dificuldades Sexuais

( ) Formigamento nas extremidades (mãos e pés)

( ) Insônia

( ) Tiques nervosos

( ) Hipertensão arterial confirmada

( ) Problemas dermatológicos prolongados (pele)

( ) Mudança extrema de apetite

( ) Taquicardia (batimento acelerado do coração)

( ) Tontura freqüente

( ) Úlcera

( ) Impossibilidade de Trabalhar

( ) Pesadelos

( ) Sensação de incompetência em todas as áreas

( ) Vontade de fugir de tudo

( ) Apatia, vontade de nada fazer, depressão ou raiva prolongada

( ) Cansaço excessivo

( ) Pensamento constante sobre um mesmo assunto

( ) Irritabilidade sem causa aparente

( ) Angústia ou ansiedade diária

( ) Hipersensibilidade emotiva

( ) Perda do senso de humor

EXAUSTÃO –> Na ocorrência de 9 (nove) ou mais itens na FASE III

Importante: Este teste tem a finalidade apenas de servir como uma referência (alerta) e não como a certeza de estar sendo vítima do Estresse. Em virtude disso não se perturbe se houver indícios de sua existência, devendo entretanto, de posse destes sinais, procurar ajuda de um profissional a fim de ser orientado.

*Teste criado pela especialista Marilda Emmanuel Novaes Lipp

Luiz Henrique de Paula é   pastor, doutor em aconselhamento e cuidado de família. Presidente do "Conselho Metropolitano de Pastores e Ministros da Baixada Santista", psicanalista clínico, terapeuta de família e comunitário. Luiz Henrique é também conferencista na área da família e colunista da revista "Lar Cristão". Autor dos livros: "Quem manda na família Hoje". "Manual de Discipulado" e "Manual para a Família".   Apresentador do programa de TV Família um Projeto de Deus Casado com Jocilaine Amaral Machado de Paula, com quem três filhos: Letícia, Larissa e Luiz Daniel.

Blog do Ministério da Família: http://ministrodafamilia.blogspot.com/

Site do Ministério da Família: www.ministeriofamilia.com.br

Contato para palestras e consultas em psicanálise e terapia de família

Tel.:   (13) 7806-6278

End.:   Rua Carvalho de Mendonça, 596 - Vila Belmiro - Santos/SP

veja também