Etiqueta completa de casamento

Etiqueta completa de casamento

Atualizado: Quinta-feira, 17 Dezembro de 2009 as 12

Tire suas dúvidas e conheça todos os detalhes de como organizar uma cerimônia de bom gosto

Convites e convidados

Ainda se usa "sr. e sra."?

O mais indicado é endereçar o convite a "Sr. Marcos Cruz e Sra. Cristina Peixoto", preservando assim a identidade da mulher. Além disso, hoje muitas mulheres não adotam o sobrenome do marido. A fórmula "Sr. e Sra. Marcos Cruz" deve ser reservada aos mais velhos ou mais formais. Se os amigos forem íntimos, escreva "Aos amigos Marcos Cruz e Cristina Peixoto" ou apenas "Aos amigos Marcos e Cristina".

O nome do marido sempre vem primeiro. No caso de namorados, o da mulher precede o do homem. Quando o convite é extensivo à família, escreve-se "Sr. Marcos Cruz e família". Omitir a referência à família é a única maneira delicada de evitar a eventual presença de filhos dos casais.

Como restringir a lista se a família é muito grande?

Uma saída é convidar apenas os tios e um único casal de primos representando a nova geração. Os noivos devem alegar problemas de espaço e comunicar a decisão a todos os tios.

Festa para todos ou não

Quando todo mundo está convidado para a igreja e para a recepção, escreve-se no próprio convite que "após a cerimônia os noivos receberão os convidados em tal local...".

No caso de uma recepção restrita, o convite é só para o ato religioso. No convite de quem também irá à festa, coloca-se um cartãozinho, preso por um miniclipe no alto, à esquerda, mencionando que "após a cerimônia...". Uma opção para orçamentos folgados é imprimir duas versões: uma para a igreja e outra para a igreja e a festa, evitando o cartãozinho. Para a igreja não, mas, se haverá festa, pede-se a confirmação da presença por meio das iniciais R.S.V.P., (répondez s´il vous plaît), uma expressão francesa que traduzida significa "responda, por favor", seguidas de um telefone, do nome de quem receberá as ligações e do prazo para confirmar - quatro ou seis dias antes da festa. Se a festa é para todos, o R.S.V.P. consta do próprio convite. Caso contrário, vai no pequeno cartão em que se menciona a recepção. Para avisar que haverá manobristas, põe-se um cartãozinho no alto esquerdo. Se houver um cartão para a festa, este ocupa o canto esquerdo e o do manobrista vem logo ao lado com outro clipe. Esses cartões nunca são grampeados. Quem fará o ato civil num cartório, na presença de poucas pessoas, mas oferecerá uma recepção, não necessariamente no dia, convida "para a festa em comemoração a seu casamento". Em todos os casos, os convites são entregues com um mês ou três semanas de antecedência. Ala jovem e ala velha

Uma das maneiras de restringir a festa aos amigos é oferecer aos familiares um jantar na véspera do casamento. Para evitar problemas, deixe claro que a comemoração após o casamento será informal e apenas para a ala jovem.

Em memória

Uma solução para quem perdeu os pais e acha triste escrever "em memória" depois do nome da pessoa falecida é fazer o convite em nome dos noivos. "Andréia Nunes e Rafael Albuquerque, filhos de (nome e sobrenome dos pais em letras menores), convidam...".

Participação de casamento

- Quando fazem um casamento íntimo, é delicado que os noivos enviem uma participação a amigos e parentes que não foram convidados.

- O cartão costuma dizer: "Cláudia Teixeira e Rodrigo Mota Mendes participam seu casamento, realizado em cerimônia íntima no dia tal em tal lugar, e oferecem sua residência, na Rua...". O texto inclui ou não o telefone. Uma boa idéia para quem vai morar em outra cidade é acrescentar o e-mail. Quem quiser pode escrever "filhos de..." depois dos nomes dos noivos.

- A participação é mandada no dia seguinte, nunca antes. Para endereços na mesma cidade, sempre que possível é melhor usar serviços de motoboy a colocar no correio.

- Se mudou de nome, a noiva usa o de casada.

- Quem recebe a participação passa um telegrama ou telefona para cumprimentar os noivos. Se eles morarem em outra cidade e tiverem comunicado o e-mail, a mensagem pode ser enviada pela internet. Ignorar o fato é indelicado.

Parentes de longe

As famílias dos noivos não têm obrigação de arcar com a hospedagem dos convidados que moram em outras cidades.

- Antes de enviar o convite pelo correio, telefona-se para falar da cerimônia e oferecer ajuda para reservar um hotel.

- Anfitriões gentis apanham os convidados no aeroporto ou na rodoviária e providenciam transporte do hotel para o local da cerimônia.

- Também organizam um programa para quem já está na cidade na véspera. Pode ser um jantar em que cada um paga a sua conta.

- Quando não haverá festa e muita gente virá de outra cidade, o melhor é marcar a cerimônia para a manhã, assim a viagem de volta pode ser no mesmo dia. Se for à tarde ou à noite, os pais da noiva ou do noivo podem organizar grupos para jantar fora, cada um pagando a sua despesa. O principal é haver alguma programação para essas pessoas.

Na igreja

Sem piscadinhas de olho

Ao entrar pela nave central da igreja, pelo braço direito do pai, a noiva vira suavemente a cabeça para um lado e para outro, sorrindo, mas sem deter o olhar. Não cumprimenta nenhum convidado nem pisca o olho.

De braço dado com o noivo

Se os noivos são mais velhos, é o segundo casamento ou a noiva perdeu o pai, podem entrar juntos. O noivo dá o braço direito à noiva. No altar, ela fica à esquerda.

Só pelo civil

Quando o casamento civil é num salão, o noivo e os pais recebem os convidados até a noiva chegar com o pai. Então o noivo cumprimenta o futuro sogro e vai com a noiva até a mesa do juiz.

As músicas precisam ser as tradicionais?

Não. A trilha sonora hoje é mais flexível e aceita-se misturar estilos. Muitas noivas agora entram na igreja ao som do tenor italiano Andrea Bocelli, das canções napolitanas de Zizi Possi ou de outros sucessos românticos. A bênção das alianças pede algo suave, deixando-se as músicas mais animadas para o final. Para evitar constrangimentos, consulte a igreja sobre as escolhas e certifique-se do que dizem as letras em outra língua.

Atrasos controlados

Se haverá outro casamento depois do seu, seja pontual. Caso contrário, admitem-se até 30 minutos de atraso em grandes cidades e 15 nas pequenas. Faça antes o trajeto no mesmo horário e no mesmo dia da semana para calcular bem o tempo. O noivo só entra na igreja ao ser avisado de que a noiva chegou.

A festa

Bolo e champanhe

A comemoração é elegante para casamentos pela manhã e à tarde, não em horário de jantar.

- Quem deseja uma reunião um pouco mais longa serve salgadinhos e bebidas variadas antes do bolo e do champanhe.

- Os que preferem simplificar substituem o bolo pelos bem-casados, docinhos de pão-de-ló recheados com doce de ovos.

- O convite dirá: "Após a cerimônia os noivos receberão para um brinde no salão da igreja".

- Outra opção é o pastor, ao final, convidar para o brinde.

- Se a igreja não tiver salão, o local do brinde deve ser próximo.

- O champanhe é servido a todos os convidados quando os noivos cortam o bolo e brindam com os pais ou logo em seguida.

- Um ritual bonito é o casal entrelaçar os braços ao brindar.

Seja como for a festa, se há brinde, o champanhe é servido a todos

Lembrancinhas voltam à moda

São embalagens de cetim ou metalizadas com amêndoas açucaradas. Em geral vêm com um cartão de 3 cm x 2 cm, em que os noivos (sem sobrenome) oferecem a residência. Podem já estar diante de cada lugar na mesa ou colocadas numa linda bandeja ou cesta e ser entregues na saída por um garçom.

Na hora da saída

- Os noivos não precisam se despedir nem avisar quando vão embora.

- Os convidados não precisam esperar a saída dos noivos para ir embora nem se despedir deles.

- Se os pais dos noivos estiverem perto da saída, é gentil cumprimentá-los pela beleza da festa e agradecer o convite.

Jogar ou guardar o buquê

A noiva que vai jogar o buquê, mas depois quer guardá-lo, deve avisar isso antes às amigas. Aquela que o pegar saberá que levará para casa apenas uma das flores. Há casas que fazem uma versão menor do buquê justamente para a noiva jogar, mas a amiga guardará uma cópia, não o exemplar "da sorte".

Presentes

Presentes em dinheiro

Os noivos não podem pedir, mas podem sugerir presentes em dinheiro. Mas isso só se faz com convidados íntimos, depois que eles tomam a iniciativa de perguntar em que loja está a lista, e sempre que os noivos tenham motivo para essa preferência. Duas razões são incontestáveis: já estão com a casa montada ou vão morar numa cidade distante. Os convidados então fazem um cheque nominal e o entregam num envelope com um cartão desejando felicidades.

Segundo casamento

Os princípios para os presentes no segundo casamento são os mesmos válidos para o primeiro. Deve-se perguntar se há lista em uma loja ou o que os noivos desejam. Como em geral já têm o básico, escolhem-se objetos de decoração, como mini esculturas, ou utilitários especiais, como cálices ou louça de antiquário.

Até dois meses para agradecer: Os noivos agradecem todos os presentes no máximo até dois meses após o casamento. Se o presente é valioso, é mais delicado fazer um elogio ao objeto do que mencionar apenas o "lindo presente". No rodapé vão impressos o endereço, o telefone e, se quiserem, o e-mail de cada um, o que os dispensa de escrever que oferecem a residência. E no centro ou no alto à esquerda figuram os nomes completos (o do marido primeiro). Não é preciso agradecer telegramas.

Os noivos não põem um cartãozinho no convite dizendo onde têm lista de presentes. Mas dão a informação a quem perguntar

veja também