Expecialistas explicam a Intuição feminina

Expecialistas explicam a Intuição feminina

Atualizado: Terça-feira, 31 Maio de 2011 as 8:42

Pressentimento, feeling, sexto sentido. A nomenclatura não importa pois todos os sinônimos remetem à mesma coisa: à intuição, aquela percepção que não sabemos de onde vem, mas sabemos que existe. Um estalo, uma voz, um eco interior. E isso não tem absolutamente nada de sobrenatural. A ciência explica até o porquê dessa característica estar atrelada ao adjetivo "feminina". Quer ver?

"Temos cinco sentidos tradicionais (visão, audição, paladar, gustação e tato), a intuição seria uma sexta maneira de "sentir" algo. Na verdade, é a integração de todos os cinco - os estados internos do organismo e a mente racional - todos voltados para nos dar uma informação preciosa", explica o médico neurologista Martin Portner. O determinante para que a intuição seja característica feminina tem nome e sobrenome: corpo caloso. "A ligação entre os dois hemisférios do cérebro é feita por uma ponte chamada de "corpo caloso". Cientistas de vários países já verificaram que nas mulheres, o tráfego de impulsos nervosos por esse canal é maior", explica o especialista.

"Uma boa parcela das mulheres pode integrar os circuitos cerebrais que detectam a possibilidade de que um dos filhos, que mora longe, pode estar precisando dela naquela instante. Esse é o mecanismo da intuição"

A intuição é, então, uma capacidade do cérebro que envolve o cruzamento de informações dos dois hemisférios: o esquerdo, que é racional, e o direito, emocional. "Se alguém se aproxima e sentimos um aperto no coração porque pressentimos uma má notícia, e se esta pessoa se prepara para acoplar o sentimento de aperto com informações mentais, poderá "saber" que a notícia tem relação com a saúde de alguém da família, por exemplo", descreve o Dr. Portner.

De onde vem?

Será que todos nós somos dotados de intuição? Uns dizem que homens e mulheres nascem intuitivos, mas ainda não há comprovações sobre isso. Entretanto, pessoas mais sentimentais podem desenvolver melhor o dom. Segundo o neurologista, meninas são mais afetivas e talvez por essa razão, se transformem em mulheres mais intuitivas que os homens, que são mais racionais.

Então esse é o segredinho das mulheres! O sexo feminino é mais sensível, receptivo, compreensivo e emocional que o masculino. Logo, mulheres são bem mais suscetíveis a essa comunicação. "Fatos diários comprovam que as mulheres têm maior acesso à capacidade integrativa cerebral que conduz à percepção de eventos futuros. Capacidade integrativa cerebral quer simplesmente dizer a qualidade de poder lidar com múltiplas áreas de funcionamento do cérebro e integrá-las em uma experiência única", explica o Dr. Martin Portner.

As mulheres captam o estado emocional de alguém com mais facilidade que os homens. Isso as faz capazes de perceber detalhes como ler e interpretar os gestos, sinais corporais e imagens. Além disso, elas conseguem analisar rapidamente sua coerência e correlacionar esses dados, considerando o contexto. E tudo ao mesmo tempo. Entre um e outro sinal, as mulheres unem circuitos cerebrais que detectam possibilidades que elas nem imaginam, de acordo com o Dr. Martin Portner. "Uma boa parcela das mulheres pode integrar os circuitos cerebrais que detectam a possibilidade de que um dos filhos, que mora longe, pode estar precisando dela naquela instante. Esse é o mecanismo da intuição", diz.

O xis da questão é saber interpretar a este recado. Relacionar dados objetivos e subjetivos requer bastante atenção. Geralmente, o lado racional tende a ignorar as emoções e aí fica mais difícil unir fatos que não têm nenhuma aparente ligação prévia. É por isso que, nem sempre, é possível interpretar os avisos ao pé da letra. Foi o que aconteceu com a jornalista Alessandra Sciammarella. "Meu marido tinha viajado naquele dia. Telefonei sem pretensões e, de repente, tive uma crise de choro. Não sei explicar o que aconteceu. Não era saudade e também não tive nenhum pressentimento explícito. No dia seguinte, naquele mesmo horário, ele sofreu um grave acidente de carro. Percebi, então, que poderia ter sido uma intuição", conta.

"Vinte minutos de calma, introspecção, de voltar-se para dentro duas vezes ao dia, percebendo a respiração e a harmonia do organismo, é uma boa receita para desenvolver a intuição"

Desenvolvendo a intuição

Culturalmente, os homens têm maior dificuldade quando o assunto são as emoções. Desde bem pequenos são educados para reprimirem seus sentimentos para que se tornem fortes. Mas, rapazes, não fiquem tristes. É possível desenvolver um pouquinho desta percepção, tão comum entre as mulheres. "O caminho mais sólido para a intuição é desenvolver a capacidade meditativa. O poder de reflexão e o afastamento do burburinho do dia-a-dia são peças-chave para o desenvolvimento da intuição", ensina o especialista.

Calma! Isso não quer dizer ficar horas mergulhado em profunda meditação ou entoando mantras o dia todo. "Vinte minutos de calma, introspecção, de voltar-se para dentro duas vezes ao dia, percebendo a respiração e a harmonia do organismo, é uma boa receita para desenvolver a intuição", ensina o Dr. Portner. Albert Einstein, por exemplo, fazia palavras cruzadas para aguçar a percepção. E é bom lembrar que em casos de estresse a intuição desaparece totalmente. "Quem é cronicamente estressado jamais será intuitivo", observa o médico.

A professora de yoga Tainá Fonseca conseguiu aumentar sua capacidade intuitiva quando começou a ficar um tempo a sós consigo mesma. "Isso fez com que eu começasse a ouvir mais o meu eu. E hoje sempre escuto os seus conselhos quando ele grita dentro de mim. Já escapei de um assalto quando ouvi aquele sussurro me dizendo para seguir em frente ao invés de virar à direita, que era o meu caminho normal. No dia seguinte, soube que diversos carros foram roubados em uma das ruas que eu passaria", conta.

Espaço à emoção

Também é bom ressaltar que as percepções só afloram quando deixamos o racional em segundo plano. Ele não precisa desaparecer, só ceder um espacinho à emoção. "Somente o cérebro pode integrar razão e emoção em um mesmo plano e em doses apropriadas para a intuição. A razão sozinha fecha as portas para o que ainda não aconteceu; só a emoção é como rádio sem bateria, nada se escuta. Por isso, a intuição precisa de ambos", atesta o Martin Portner.

O melhor mesmo ter sensibilidade para escutar esses ecos e prestar atenção aos insights. Isso pode te poupar um lamento e tanto por não ter seguido sua "voz interior". Lembre-se de que ela pode mudar uma vida. E, então, pronta para ouvi-la?    

veja também