Falta de rotina para dormir traz impactos no aprendizado e no comportamento do seu filho

Falta de rotina para dormir traz impactos no aprendizado e no comportamento do seu filho

Atualizado: Terça-feira, 15 Junho de 2010 as 8:21

Assim que começa a anoitecer, é hora de acalmar as crianças. Banho para relaxar e depois jantar. Já na cama, uma história pode ajudar o seu filho a pegar no sono. Se a rotina da sua casa não parece em nada com essa, é hora de mudar! Crianças precisam dormir bem. Apesar de não ser nenhuma novidade para você, cada vez mais, elas têm descansado menos.

Para a Academia Americana de Medicina do Sono, o ideal é que as crianças em idade pré-escolar durmam, em média, 11 horas por noite. E uma nova pesquisa norte-americana revelou que esse tempo é suficiente para a criança descansar e, ainda, ajudar em seu desenvolvimento cognitivo.

Para chegar a esse resultado, os cientistas aplicaram testes de linguagem e de habilidades matemáticas. As crianças que tinham uma rotina antes de dormir e conseguiam ter uma noite tranquila, tiveram melhores resultados do que aquelas que tinham problemas para pegar no sono.

Estudos anteriores já haviam comprovado também o quanto a má qualidade de sono pode acarretar em outros problemas. Pesquisadores da Universidade de Helsinki, na Finlândia, mostraram que crianças que dormem menos de 7,7 horas têm maiores níveis de hiperatividade e déficit de atenção e impulsividade. Outra pesquisa, da Universidade de Montreal, no Canadá, também alertou para o problema. Além da hiperatividade, o resultado da análise revelou que o risco de obesidade aumenta em crianças que não dormem pelo menos seis horas consecutivas.

Segundo Maria Amparo Martinez Descalzo, pediatra do Hospital Santa Catarina (SP), as crianças que dormem mal ficam mais irritadas e agitadas durante o dia e, muitas vezes, são vistas como hiperativas, quando no fundo o problema está na qualidade do sono. Além disso, elas não conseguem prestar atenção nas aulas, prejudicando o seu desempenho escolar.

Já, para os quilos a mais, Jacques Montplaisir, um dos autores do estudo canadense, afirma que ao dormir menos há uma desarmonia nas liberações hormonais no organismo. O estômago, por exemplo, acaba secretando hormônios que estimulam o apetite. "A criança que dorme mal, não consegue seguir uma dieta equilibrada e fica mais tempo na televisão e no computador porque não tem disposição para fazer atividades físicas", diz Amparo.

Sono saudável

Além da rotina, com horários estabelecidos para acordar, dormir e fazer refeições, a atenção dos pais é fundamental para melhorar a qualidade do sono dos filhos. Ainda que você trabalhe o dia todo e chegue em casa só à noite, separe um tempo ao retornar do trabalho e se dedique exclusivamente à criança. Essa atenção faz com que ela se sinta cuidada pelos pais, além de deixá-la mais tranquila, o que ajuda com que durma bem à noite.

Um vilão no sono do seu filho é o excesso de atividades em seu dia a dia. "A estimulação desordenada da criança, quando ela tem que dar conta das aulas de natação, judô, inglês, computação, a estressa antes do tempo. Crianças precisam de tempo para brincar", afirma Amparo.

Por: Ana Paula Pontes e Bruna Menegueço

veja também