Férias na escola

Férias na escola

Atualizado: Terça-feira, 14 Julho de 2009 as 12

Férias, oba! Ou nem tanto. Quando pai e mãe trabalham e não tem avó ou tia por perto (ou que esteja de férias e a fim de ficar com criança), as férias das crianças podem dar aquela vontade de gritar "socorro!" Como a realidade é essa e não tem muito como lutar contra ela, o jeito é se adaptar. Agora, as próprias escolas entram na dança e montam programas especiais para o período sem aulas. Quer saber? É uma mão na roda. Mesmo que as crianças fiquem na escola, um lugar seguro, com o qual todo mundo (você e elas) está acostumado, é preciso ter em mente que férias devem ser férias MESMO. Você não conseguiria se imaginar de folga indo para o escritório e fazendo o mesmo trabalho de sempre, não é? Então. Com os pequenos funciona assim também.

"Alguns dias fora da rotina de aula ou com uma rotina diferente fazem com que as crianças fiquem menos estressadas e prontas para mais um período letivo", explica a psicopedagoga Maria Irene Maluf, mãe de Maria Fernanda e Maria Paula. Isso pode acontecer na própria escola, se a programação for leve e bacana, diferente da do ano letivo. Embora seja importante ficar de papo pro ar, sim, planejamento não é de todo ruim. Mesmo quem fica em casa precisa ter algumas atividades programadas, seja passear no parque com um tio ou convidar amigos para dormir em casa. "O que não é bom é passar dia após dia dentro de casa, vendo TV", diz Maria Irene.

Para saber se o programa oferecido pelo colégio de seus filhos ou mesmo de outras escolas - alguns aceitam não-alunos nas atividades de férias - é uma boa, Maria Irene sugere que se observe se o curso tem bons profissionais, capacitados para o lazer. O local deve ser seguro e repleto de oportunidades para novas experiências adequadas à faixa etária de seus filhos. Como as crianças que frequentam o curso não são necessariamente as mesmas com quem ele divide a classe normal, pode ser uma boa oportunidade para fazer amigos.

Muitas das escolas oferecem, além das atividades no próprio prédio, passeios bacanas pela cidade-sede e cidades próximas. Já que você está ralando e não tem como passear com os filhos durante a semana, pessoas qualificadas e de confiança fazem isso por você. No Colégio Pentágono, de São Paulo, por exemplo, as atividades incluem sessões de cinema, teatro, visita a museus e espaços como o Aquário de São Paulo, aulas de culinária, de marcenaria e recreação com boliche, brincadeiras na piscina, day camps e acantonamento em locais próximos. O legal é que a programação é aberta a crianças que não são alunas da escola.

Já no Colégio Global há o chamado Clube de Férias, dividido em semanas temáticas sobre artes, animais e música. As crianças ficam na escola em tempo integral e fazem atividades diversas e um passeio semanal relacionado ao tema trabalhado. Neste caso, só alunos do colégio podem participar. Quem mora em condomínio pode montar um curso de férias em "casa" mesmo, combinando com o síndico e os outros pais. A Casa Movimento oferece esse serviço e utiliza a estrutura de lazer do local para montar gincanas, atividades artísticas (com reaproveitamento de materiais) e de culinária, coordenadas por profissionais de educação e desenvolvidas por psicólogos, nutricionistas e educadores. Sem avós por perto, para ter férias, o jeito é inventar.

veja também