“Filho de peixe, peixinho é”, será?

“Filho de peixe, peixinho é”, será?

Atualizado: Segunda-feira, 1 Julho de 2013 as 9:59

peixe e peixinhoNa sabedoria popular, o dito “filho de peixe, peixinho é”, serve para ensinar que a criança herda características físicas, emocionais e psicológicas de seus antepassados. Bem, esse pensamento secular chegou à igreja, servindo de impedimento para os pais cristãos verem a necessidade espiritual de seus filhos.
 
Quando perguntamos a um pai se já levou seus filhos a Cristo, a resposta: “Bem, ele já nasceu cristão”.  “Bom, ela é filha de crentes”. Ou ainda: “Ele foi criado no evangelho”. Comentários assim mostram que certos pais confiam na família, na igreja e na tradição religiosa para a salvação de seus filhos.
 
Porém, quem pensa dessa forma, engana-se. A salvação não é dada por herança. Religião, família, tradição, oração, não garantem lugar no céu. Deus não tem netos, só filhos. “Mas a todos os que o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que creem no seu nome” (João 1.12). O fato de alguém nascer em lar cristão, ser ensinado na doutrina ou frequentar a igreja não garante que tal pessoa seja ou venha se tornar crente. A salvação é pessoal e depende das decisões e escolhas que a pessoa toma por si só.
 
Nas páginas das escrituras encontramos, repetidas vezes, filhos de crentes, alguns até de líderes religiosos, que não seguiram o caminho de fé de seus pais. A palavra de Deus nos diz parar ensinarmos nossos filhos no caminho em que devem andar para que quando cresçam não se desviem dele. Tenha certeza de que seu filho já entregou o coração para Jesus!
 
 
- Tio Uli
 

veja também