Filhos adolescentes e as dificuldades que os pais enfrentam. Quem precisa de ajuda?

Filhos adolescentes e as dificuldades que os pais enfrentam. Quem precisa de ajuda?

Atualizado: Segunda-feira, 18 Abril de 2011 as 10:44

" Ultimamente tenho-me sentido inútil como pai ...", disse-me um amigo que tem problemas com o filho adolescente. "... Mas resolvi conversar com um profissional especializado no assunto num centro de saúde e senti-me realmente melhor".

Enfrentar mudanças de humor, rebelião e ira é normal no cotidiano de quem vive com filhos adolescentes, é um período "tempestuoso" da vida, quando os adolescentes estão na fase de mudança:   já não são crianças por isso querem ser independentes dos pais , porém, também não são adultos. Mas a verdade é que o comportamento de alguns adolescentes se torna tão difícil que os pais sentem que não conseguem lidar com os filhos. Pode ser ainda mais difícil nas famílias em que as crianças querem proceder como seus outros amigos, e os pais sentem que isso entra em conflito com os seus valores tradicionais.

Mas conversar com alguém que não seja da família pode ajudar - por vezes os "estranhos" conseguem ver os problemas com mais clareza . Um profissional especializado não irá resolver os problemas da família, mas poderá dar orientação sobre a maneira de lidar melhor com os filhos adolescentes.

E quais são os sintomas indicativos de que os pais precisam de ajuda? Quando se sentem rejeitados pelos filhos, ou quando se sentem confusos e angustiados com o seu comportamento, talvez seja benéfico conversar com um "conselheiro" - talvez os pais apenas precisem que os ajudem a compreender que o comportamento dos filhos é normal nesta fase. Mas quando o comportamento parece atingir um extremo, é importante procurar ajuda.

Dois sinais de crise: Desinteresse e isolamento do adolescente. Um problema de comportamento é, por exemplo, quando o adolescente parece distanciar-se da família e mostra-se apático por longos períodos. Embora passar tempo sozinho e distanciar-se da família seja um comportamento normal de muitos adolescentes, quando se afasta também dos seus amigos o jovem pode estar confuso e precisando de ajuda. Ou ainda quando a criança se comporta de maneira muito diferente do habitual - não estudando como de costume ou deixando de falar com os pais. É importante perguntar ao jovem a causa da mudança - mas os pais devem fazê-lo de maneira carinhosa sem mostrar que estão zangados.

Agressão física.  Um problema mais grave é quando o adolescente agride fisicamente outros membros da família durante uma discussão, normalmente a mãe.

"Quando isso acontece os pais sentem dificuldade em falar sobre o assunto", diz Margaret Condonis, do "Adolescent Family Therapy and Mediation Service", em Parramatta na Austrália. Além de se sentirem emocionalmente feridos, os pais que foram agredidos fisicamente por um filho, pensam que devem ter falhado como pai para isso ter acontecido.

"Esse tipo de violência familiar acontece por muitas razões", diz Margaret. "Talvez o pai seja fisicamente violento ou mostra falta de respeito para com a mãe - e as crianças copiam o exemplo. Não é só os rapazes que são violentos - em quase metade das famílias que vejo, são as filhas que cometem a agressão física", completa Margaret.

"Por vezes os adolescentes violentos em casa procedem assim porque viram ou foram eles próprios vítimas de brutalidade. Mas qualquer que seja a razão há ajuda para o problema".

Ainda somos uma familia.  Embora tenham esse comportamento, essas crianças querem o amor dos pais e querem parar de magoá-los. A sugestão de Margaret para os pais é que não respondam, nem com palavras que inspirem medo e nem usando agressão física - pois isso será um mau exemplo. Em vez de procederem assim, os pais devem expressar o que realmente sentem no coração:   Uma frase bem colocada vale mais do que dez ou vinte bofetadas.   Dizer qualquer coisa como: "Magoa-me quando me bates e sinto que não gostas de mim". "Farei o que for necessário para que esta agressão não se repita - mesmo que tenha que chamar a policia" (mas cumpra suas promessas, caso contrário a situação irá se agravar).

Chamar a policia pode não parecer um ato de amor, mas significa que o pai, ou a mãe, ama o seu filho o suficiente para protegê-lo do que faz - a si e a seus familiares. Caso o filho não pare agora, poderá no futuro tornar-se violento para com os seus próprios filhos ou para com o cônjuge.

veja também