Filhos! Disciplina neles

Filhos! Disciplina neles

Atualizado: Quarta-feira, 30 Março de 2011 as 10:43

SEU FILHO DÁ TAPAS NO VIZINHO QUANDO SE IRRITA DURANTE UMA BRINCADEIRA AMISTOSA? ELE FAZ ESCÂNDALO EM PÚBLICO SE É CONTRARIADO? NUNCA ACEITA EXPERIMENTAR UMA COMIDA NOVA? QUATRO ESPECIALISTAS DÃO DICAS PARA COLOCAR OS PEQUENOS NOS EIXOS

POR SANDRA GORDON TRADUÇÃO JULIANA DELLEVA CADIZ, MÃE DE OLIVIA

Quem nunca se pegou assistindo a programas televisivos como Super Nanny e Central de Babás, em que especialistas socorrem pais desesperados que não sabem mais o que fazer para controlar um filho que dá altos chiliques, bate nos amigos e se recusa terminantemente a ir para a cama? A moda do SOS familiar acaba de ganhar mais um capítulo nos Estados Unidos: depois dos reality shows focados em crianças endiabradas, surgiu um especialista chamado de parent coach – o treinador de pais.

Esse profissional começa a ganhar espaço e dinheiro ajudando pais e mães a melhorar o comportamento infantil.

Não, você não precisa chegar ao cúmulo de contratar – por preços salgadíssimos – um treinador de pais. Alguns profissionais, que atuam como conselheiros, cobram US$ 100 por uma sessão de 45 minutos via telefone. Como praticamente todo mundo enfrenta em casa problemas disciplinares, nós ouvimos quatro desses especialistas e revelamos alguns de seus truques para lidar com situações corriqueiras. O melhor: aqui, esses conselhos são gratuitos.

Meu filho se recusa  a ir para a cama

Conselho dos treinadores

Cathy Cassani Adams (www.intentional parent.net): Diga a ele que você vai entrar em seu quarto três vezes por noite, mas que ele precisará dormir sozinho. Para reforçar a idéia, coloque três pedaços de fita-crepe perto dele, e retire um cada vez que ele chamar por você. Dentro de alguns dias, ele vai começar a colaborar.

Maureen O’Brien (www.destinationparenting.com ): Diga com firmeza: “É hora de ir pra cama. Aqui estão dois livros. Qual você quer que eu leia para você antes de apagar a luz?”. Não pergunte nada na linha “Você está cansado?”. Isso é um convite a longas negociações, que você não quer nem merece.

Jennifer Wolf (www.pathwaysparentcoach.com ): Seja coerente com a rotina de seu filho. Dê-lhe um banho, na mesma hora, todas as noites, brinque, leia e faça carinho, sempre na mesma ordem. Isso deve ajudar a prepará-lo para dormir. Se o sono não chegar, tente desligar a TV logo depois do jantar. Assistir à TV pode parecer calmante, mas deixa o cérebro mais alerta.

Kim-Tai DeMars (www.theparentcoachcom ­pany.com): Se ele insistir em ficar acordado, ponha-o calmamente na cama. Diga algo do tipo “Você vai brincar com seu amigo amanhã e, se tiver uma boa noite de sono, será muito mais divertido”. Se ele tiver idade suficiente, tente explicar por que o sono é tão importante: “Descansar ajuda seu corpo a crescer”.

Ele dá chilique nas lojas

Conselho dos treinadores

Cassani Adams: Fale com seu filho sobre o propósito das compras. Se você estiver escolhendo um presente de aniversário para a festa de um amigo, antes de entrar na loja explique que vocês estão ali para comprar apenas uma coisa. E diga como você espera que ele se comporte.

O’Brien: Diga algo como: “Não, nós não podemos comprar o brinquedo. Mas você pode colocá-lo na sua lista de desejos de aniversário – e talvez alguém te dê esse presente”. Dependendo da idade de seu filho, você também pode sugerir que ele comece a juntar a mesada, para que possa comprar o brinquedo sozinho um dia.

Wolf: Se você quiser que ele aprenda a esperar e tome consciência do valor do dinheiro, pratique dizendo “não” quando ele der aquele chilique. Depois que você parar de ceder quando ele choramingar, seu filho vai parar de pedir as coisas com escândalo.

DeMars: Estabeleça as regras antes de ir às compras: “Se continuar a pedir para comprar algo, vamos sair da loja”. Faça uma advertência e realmente saia do local se ele continuar. Evite criticar ou xingar seu filho. Você só precisa fazer isso uma ou duas vezes; pode ter certeza, ele vai parar de se comportar dessa maneira.

Ele 'responde' para mim quando eu lhe peço para fazer alguma coisa

Conselho dos treinadores

Cassani Adams: Seja firme e coerente e deixe que seu filho saiba que você não irá se comunicar com ele dessa maneira. Sugira que ele se acalme ou, se necessário, deixe-o de castigo. Depois, converse com ele, de modo a encontrar uma maneira melhor de dialogar.

O’Brien: Olhe nos olhos dele e diga: “Não fale assim”. Não fique com raiva ou leve para o lado pessoal, ou ele pode ficar muito assustado para absorver a lição.

Wolf: Lembre-o de que ele precisa expressar suas idéias e opiniões de forma respeitosa. Se voltar a responder, tente tirar seu brinquedo favorito por um dia.

DeMars: Diga: “Eu não gosto da maneira como você falou comigo. Não é certo falar com as pessoas desse jeito”. Então, saia e deixe que seu filho pense sobre o que disse.

Ele tem ataques de birra frequentes

Conselho dos treinadores

Cassani Adams: Esses ataques são uma forma de libertar a emoção e fazem parte do desenvolvimento da criança. Fique calmo. Se você mostrar que está chateado, eles vão ser mais longos.

O’Brien: Espere um minuto para ver se seu filho se acalma. Ele pode simplesmente querer atenção. 

Wolf: Com voz firme, diga: “Não é legal gritar ou se atirar no chão”. Se ele não se acalmar, vire as costas e saia (a menos que você esteja em um lugar público). Quando perceber que você não vai falar com ele enquanto não se comportar, vai se tocar que ataques não funcionam.

DeMars: Analise a situação – esses chiliques sempre ocorrem numa certa hora? Tente fazer ajustes. Se ele só precisar de uma soneca ou um lanche, não é realmente uma questão disciplinar.

Meus filhos brigam 24 horas por dia

Conselho dos treinadores

Cassani Adams: Você pode oferecer sugestões, mas deixe que encontrem a solução, para que aprendam.

O’Brien: Marque uma reunião familiar para que seus filhos possam expressar suas queixas. Lembre-se de que eles não têm que amar os irmãos o tempo todo, mas têm de se tratar com respeito.

Wolf: Dê a seus filhos estratégias para evitar conflitos. Diga: “Se você não quiser que sua irmã brinque com seu Lego é preciso guardá-lo ao acabar de brincar”.

DeMars: É natural os pequenos brigarem, mas, se isso persistir ou se tomar proporções de agressão física, você terá de intervir. Pode ser necessário separá-los, para que tenham um período de reflexão antes que possam escutar uns aos outros.

Ele bate em outras crianças

Conselho dos treinadores

Cassani Adams: Na próxima vez que ele bater em alguém, leve-o para longe da confusão e pergunte: “O que você pode fazer em vez de bater para conseguir o que quer? Você pode conversar”. Se esse comportamento continuar, deixe-o de castigo.

O’Brien: Se seu filho tem 2 anos ou menos, leve-o para um canto e diga: “Nossa regra é não bater nunca”. Se ele tem 3 ou mais, estabeleça consequências quando bater em alguém, como tirar a TV. E faça-o pedir desculpas ao amigo em quem bateu.

Wolf: Abaixe-se na altura de seu filho e diga: “Não é legal bater. É melhor usar as palavras”. Se ele tem no mínimo 3 anos, explique o que deveria ter feito: “Você pode falar a seu amigo que é sua vez de brincar em vez de bater nele”.

DeMars: Ajude-o a pôr seus sentimentos em palavras: “Eu sei que você está irritado, mas bater não vai resolver nada”. Se o comportamento persistir, vá para outra sala e diga: “Se você não parar de bater nos seus amigos, não vai poder brincar de novo com eles”. E cumpra.

Ele é chato para comer

Conselho dos treinadores

Cassani Adams: Deixe-o experimentar novos alimentos junto com algo de que ele gosta, como ketchup. 

O’Brien: Ao servir um novo alimento, leve-o à mesa com um acompanhamento que você sabe que seu filho vai comer.

Wolf: Estabeleça horários regulares para lanches. Assim, você sabe que seu filho vai ter fome na hora das refeições. E, com fome, a criança estará mais propensa a experimentar coisas novas.

DeMars: Ponha um pouco de comida nova no prato com algo que sabe que ele vai comer. Você pode ter de servir a mesma coisa dez vezes antes de ele resolver comê-la  

veja também