Filhos: Gripe ou resfriado?

Filhos: Gripe ou resfriado?

Atualizado: Quarta-feira, 21 Julho de 2010 as 8:23

Se você foi nos últimos dias no consultório do pediatra do seu filho, já deve ter percebido que o movimento está acima do normal. Sim. Com os dias mais frios, aumentam os casos de crianças com gripe e resfriado. Mas, afinal, qual é a diferença entre eles? A gripe é causada pelo vírus influenza A e B, que sofre mutações sazonais. Já o resfriado é causado pelo rinovírus em 70% dos casos. E são mais de 100 tipos, daí a dificuldade de se desenvolver uma vacina. Ambos são bastante contagiosos, sendo transmitidos até por gotículas de saliva. Estudos mostraram que a principal via de transmissão dos vírus do resfriado e da gripe é manual. A criança espirra sobre um brinquedo e, minutos depois, outra toca no lugar e leva a mão ao nariz ou à boca. Contágio feito.

Sintomas

Na grande maioria dos casos, o resfriado afeta nariz, ouvido ou garganta, provocando coriza, irritação das mucosas, tosse, espirros e, às vezes, a criança pode ter febre baixa. Se for gripe, os sintomas costumam ser mais intensos e incluem febre alta, dores musculares, cansaço e dificuldade para respirar, situação em que a criança deve ser levada ao médico para verificar se existem outras doenças associadas.

Como tratar

O tratamento no caso de gripes e resfriados tem como objetivo aliviar os sintomas, pois em geral a cura é espontânea. Durante o período em que seu filho estiver doente, ele pode perder o apetite. Isso é normal! O importante é mantê-lo hidratado. Ofereça sucos, água, chás. Estimule também o seu filho a assoar o nariz várias vezes ao dia, e faça lavagem com soro. No caso de febre, controle com banhos ou antitérmicos. E lembre-se: nunca use nenhuma medicação no seu filho sem que antes tenha conversado com o médico dele.

Outras doenças associadas

A gripe e o resfriado em geral duram cerca de quatro dias, mas eles podem também ser a porta de entrada para outras viroses e doenças mais sérias. “O vírus quando atinge o sistema respiratório pode causar um desequilíbrio na resistência da criança, diminuindo sua imunidade e predispondo-se a infecções por bactérias”, afirma o pediatra Joaquim Rodrigues. Como consequência, essas bactérias, principalmente o pneumococo e o hemófilo, podem atingir órgãos como os pulmões, os ouvidos e os seios da face e daí causarem, respectivamente, pneumonia, otite e sinusite.

Como prevenir

- Evite levar seu filho a locais fechados e com aglomerações, como shoppings e buffets;

- Estimule as crianças a lavar as mãos várias vezes ao dia. Elas são a principal forma de contágio;

- Aplique soro fisiológico no nariz de seu filho pelo menos 4 vezes ao dia para evitar o ressecamento da mucosa ou o “entupimento” nasal;

- Ofereça bastante líquido às crianças para que elas fiquem hidratadas e possam enfrentar o tempo seco com mais facilidade.  

Cuidados com a casa que ajudam

No período em que a criança estiver gripada, algumas atitudes podem melhorar os sintomas. Essas ações também são aconselháveis para os alérgicos.

- Limpe a casa com pano úmido e aspirador de pó diariamente. As vassouras levantam poeira; 

- Troque as roupas de cama da criança duas vezes por semana; 

- Retire tapetes, carpetes e bichos de pelúcia do quarto de seu filho; 

- Não entulhe coisas em estantes, para evitar o acúmulo de poeira; 

- Se puder,não deixe gatos e cachorros entrarem em casa. Os pelos dos animais são agentes agressores ao sistema respiratório, principalmente de quem tem asma, rinite ou está gripado

veja também