Fumar durante a gravidez: nem pensar!

Fumar durante a gravidez: nem pensar!

Atualizado: Terça-feira, 10 Maio de 2011 as 11:03

Não é preciso reforçar que fumar faz mal à saúde. Mas muitas pessoas ainda não sabem os problemas que podem causar na gravidez. De acordo com Carolina Ambrogini, ginecologista da Unifesp, o fumo na gestação pode trazer sérias conseqüências para a criança e para a mãe. "O bebê, com certeza, nascerá com baixo peso e, em alguns casos, ter morte súbita. E a mãe poderá desenvolver trombose e pressão alta", diz.

Selecionamos 4 estudos que alertam sobre o fumo durante a gestação. Confira:

O fumo pode causar problemas no coração do bebê?

Um estudo da Universidade Brown, em Rhode Island, nos Estados Unidos, afirma que mulheres grávidas que fumaram 1 mês antes da gravidez até o fim do terceiro trimestre aumentam as chances de terem filhos com problemas no coração. A pesquisa foi feita com dois grupos. Um com 3.067 crianças com doença cardíaca e outro com 3.947 crianças sem problemas congênitos. Os resultados mostraram que defeitos no septo do coração – um orifício entre as membranas cardíacas esquerdas e direitas, que interrompe o fluxo de sangue e de oxigênio ao corpo – são mais freqüentes em filhos de mães fumantes. Segundo a pesquisa, esse é o problema mais comum entre as crianças nascidas com problemas cardíacos, levando à morte súbita.

Fumo e autismo

Um estudo realizado no Instituto Karolinska, em Estocolmo, na Suécia, analisou mais de 2 mil crianças e descobriu que as mães que fumaram regularmente na gestação apresentaram mais chances de ter filhos autistas. Segundo a pesquisa, o autismo acontece porque o fumo desenvolve problemas no funcionamento do cérebro pela falta de oxigênio.

Depressão por causa do cigarro?

Na Universidade de Amsterdã, na Holanda, uma pesquisa afirma que filhos de mulheres fumantes têm grandes chances de desenvolver depressão. A pesquisa avaliou 396 crianças entre 5, 10, 11 e 18 anos de idade, e mães que fumaram 10 cigarros ou mais por dia durante a gestação. Os filhos de fumantes na gravidez apresentavam mais transtornos de comportamento, como depressão, ansiedade e agressividade.

O bebê pode ter morte súbita com a nicotina?

Na Universidade de Paris, na França, uma pesquisa afirmou que a nicotina transmitida pela mãe fumante ao feto pode causar a diminuição da eficiência dos reflexos respiratórios, aumentando o risco de morte súbita da criança. Segundo Claude Gaultier, um dos pesquisadores, a nicotina transmitida através do sangue bloqueia, de forma duradoura, o sistema que permite reagir em caso de diminuição de oxigênio.  

veja também