Livros digitais podem estimular mais crianças a ler, aponta estudo

Livros digitais podem estimular mais crianças a ler, aponta estudo

Atualizado: Quinta-feira, 30 Setembro de 2010 as 10:14

Pesquisa concluiu que pais estão preocupados com acesso à tecnologia. Cerca de 57% das crianças afirmaram ler um livro em um e-reader.

O tempo que as crianças passam lendo livros por diversão diminui conforme elas utilizam celulares e outros aparelhos de tecnologia móvel, mas os livros digitais (e-books) podem trazê-las de volta à literatura, de acordo com um estudo divulgado na quarta-feira (29).

O estudo, conduzido pelo grupo de mídia e educação Scholastic e pela empresa de consultoria em pesquisa e marketing Harrison Group, também concluiu que os pais estão preocupados que o maior acesso à tecnologia pode limitar o tempo de leitura ou com a família.

Cerca de 40% dos pais acreditam que o tempo que as crianças permanecem on-line ou utilizando dispositivos móveis reduziria o período gasto com livros ou atividades físicas. Cerca de 33% mostraram receio de que a tecnologia leve as crianças a passar menos tempo com a família.

Porém, o estudo também descobriu que a tecnologia pode na verdade estimular uma criança a ler. Das crianças pesquisadas, 57% disseram que ficariam interessadas em ler no e-reader.

Cerca de um terço das crianças disseram que leriam mais livros por prazer caso os leitores digitais estivessem a seu alcance. Entretanto, 66% afirmaram que continuariam a ler livros impressos mesmo com uma maior disponibilidade do e-book.

Francie Alexander, vice-presidente acadêmica da Scholastic, afirmou em comunicado que os resultados do estudo mostram que os e-books podem ter um importante papel educacional.

"Se pudermos pegar um terço de todas as crianças, muitas delas leitoras forçadas, para que gastem mais tempo lendo por prazer nos e-books, esse tempo adicional gasto construindo fluência e vocabulário não só as ajudaria a se tornarem mais proficientes na leitura, mas também as auxiliaria a acompanhar textos mais complexos que elas encontrarão no ensino médio e na universidade", disse ela.

Pesquisa concluiu que pais estão preocupados com acesso à tecnologia. Cerca de 57% das crianças afirmaram ler um livro em um e-reader.

O tempo que as crianças passam lendo livros por diversão diminui conforme elas utilizam celulares e outros aparelhos de tecnologia móvel, mas os livros digitais (e-books) podem trazê-las de volta à literatura, de acordo com um estudo divulgado na quarta-feira (29).

O estudo, conduzido pelo grupo de mídia e educação Scholastic e pela empresa de consultoria em pesquisa e marketing Harrison Group, também concluiu que os pais estão preocupados que o maior acesso à tecnologia pode limitar o tempo de leitura ou com a família.

Cerca de 40% dos pais acreditam que o tempo que as crianças permanecem on-line ou utilizando dispositivos móveis reduziria o período gasto com livros ou atividades físicas. Cerca de 33% mostraram receio de que a tecnologia leve as crianças a passar menos tempo com a família.

Porém, o estudo também descobriu que a tecnologia pode na verdade estimular uma criança a ler. Das crianças pesquisadas, 57% disseram que ficariam interessadas em ler no e-reader.

Cerca de um terço das crianças disseram que leriam mais livros por prazer caso os leitores digitais estivessem a seu alcance. Entretanto, 66% afirmaram que continuariam a ler livros impressos mesmo com uma maior disponibilidade do e-book.

Francie Alexander, vice-presidente acadêmica da Scholastic, afirmou em comunicado que os resultados do estudo mostram que os e-books podem ter um importante papel educacional.

"Se pudermos pegar um terço de todas as crianças, muitas delas leitoras forçadas, para que gastem mais tempo lendo por prazer nos e-books, esse tempo adicional gasto construindo fluência e vocabulário não só as ajudaria a se tornarem mais proficientes na leitura, mas também as auxiliaria a acompanhar textos mais complexos que elas encontrarão no ensino médio e na universidade", disse ela.

veja também