Lugar de mulher é atrás do tanque. De uma moto!

Lugar de mulher é atrás do tanque. De uma moto!

Atualizado: Terça-feira, 28 Julho de 2009 as 12

Cintura fina, cabelos esvoaçantes, bota de salto alto, casaco justinho, batom e curvas poderosas. Foi o que encontrei no passeio de motocicletas só para mulheres. O grupo de 30 mulheres se reuniu em uma manhã de domingo na capital de São Paulo.

Marcela Del Picchia, 42 anos, secretária bilíngüe, foi quem organizou o encontro das motociclistas através de um site de relacionamentos da internet.  Montou um grupo com o nome Womens Bikers MT, ou seja, Mulheres Motociclistas de moto-turismo.

"O objetivo principal é unir mulheres interessadas em motos, passeios, viagens, encontros para um bate-papo. Independente de idade, ocupação, religião, posição social, cultural ou que moto tenha"- Explica Marcela.

Achei interessante a idéia e fui conferir de perto a mulherada motociclista. Aprontei-me logo cedo, peguei a Drag Star e fui ao encontro das "luluzinhas". O ponto de encontro foi em frente ao Obelisco do parque do Ibirapuera e lá fomos nós rodar pelas ruas de São Paulo.

Um show de liberdade e rabos de cavalos voando. Incrível como o grupo despertou sorrisos nas pessoas que estavam pelas ruas. É, garotos... Somos de parar o trânsito! Hoje as mulheres podem andar em suas máquinas com muito charme e estilo.

O grupo percorreu a Av. paulista e ruas do centro da cidade, finalizando a aventura no Gás Motorcycle. Café-bar estilo retro, situado no Bairro da Vila Mariana, onde almoçamos e pude conhecer melhor as participantes do passeio.

Conheça algumas das aventureiras:

Silvia Valente

28 anos, Jornalista, São Paulo

"A minha paixão por motos vem desde criança, pois meu pai sempre teve motocicleta e eu adorava passear por todos os lugares com ele. Comprei a minha há um mês, para realizar o grande sonho. Moto é aventura, é adrenalina e é paixão. Sinto-me muito realizada por ser mulher e ter uma moto, pois sempre foi considerado algo do universo masculino e com o grupo, estamos mostrando que as coisas estão mudando. O encontro desse domingo, em que reunimos mulheres para o passeio na cidade de São Paulo, foi a melhor experiência até agora. Como tenho moto recentemente ainda não havia participado de encontros desse tipo, com grande número de motociclistas e além do mais, mulheres.

O cenário de mais de 30 motos acelerando pela av. Paulista, foi realmente muito interessante. Outro ponto em que a adrenalina aumentou, foi dentro do túnel da Avenida Presidente Juscelino Kubitschek. 0 ronco dos motores foi mesmo emocionante! É muito bom saber que mais e mais mulheres estão se unindo cada vez mais por um objetivo em comum: motos! Com certeza esse foi o primeiro passeio de vários que ainda estão por vir".

Marisa Ap. Lopes Pinter

52 anos, Diretora de Escola Pública Estadual, São Paulo

"Tenho moto a apenas há um ano, piloto há poucos meses. O legal da scooter Amazonas, é que chama atenção por si só. Minhas amigas ficam doidas por ela, mas morrem de medo de moto!

Sobre o passeio de mulheres, tenho a dizer que foi minha primeira vez pilotando, e marcou minha independência com a moto.

Meu filho Piter, que é motociclista, me incentivou muito ir a esse passeio. No inicio fiquei meio preocupada, pois não tenho muita experiência, mas resolvi aceitar o desafio. Isso valeu muito para mim, simplesmente foi maravilhoso. Todo o trajeto foi legal, mas o túnel JK foi bem bacana, afinal foi à hora do barulho: buzinas e roncos dos motores que chegam a arrepiar a gente".

Michele Zelazny

32 anos, Compradora, São Paulo

"Tenho moto há quatro anos. Uma história engraçada: Quando ganhei minha 1ª moto, fui estrear e entrei de cara na parede, pois me esqueci de apertar o freio. A moto tinha 40 kms rodados, praticamente zero! Em seguida não tive mais coragem de pilotar, e um belo dia indo para o trabalho, o meu marido Marinho parou ao meu lado e disse: - desce do carro, preciso te mostrar algo. - Quando desci, ele simplesmente entrou no carro, largou a moto na minha mão ligada e eu de salto de 15 cms me disse:- se vira! - Até hoje agradeço a ele por ter feito isso. Demorei duas horas para chegar em casa aquele dia, num trajeto de nove kms, mas valeu à pena! Desde então não largo minha "bonequinha" por nada!

Quanto ao passeio de mulheres, adorei. Gosto de conhecer novas pessoas e participar de aventuras. O Marinho e eu também fazemos trilhas off Road e sempre estamos andando em grupos. Adoro uma folia".

Rakel Arruda Ribeiro

Idade 52, Professora da rede municipal e estadual, São Paulo

"Piloto desde o ano de 1984. A viagem que marcou: Viajei a Cabo Frio sozinha de moto e com um carro me acompanhando, voltei sozinha e embaixo de um temporal. Na rodovia Carvalho Pinto, deu pane e não houve meio da moto ligar. Não sei de onde surgiu um anjo da guarda de bicicleta, pois próximo dali não se via uma viva-alma para pedir socorro, e me aconselhou a ligar para o DERSA, já me passando o número de telefone. Agradeci e imediatamente liguei. O DERSA chegou em menos de 15 minutos... Ufa!

Sobre o passeio de mulheres: Foi minha primeira experiência em grupo, achei simplesmente maravilhoso. Muito bem organizado. Adorei".

Fotos e Texto: Eliana Malizia

veja também