Mãe ou profissional? Fique com os dois

Mãe ou profissional? Fique com os dois

Atualizado: Segunda-feira, 7 Fevereiro de 2011 as 1:57

Se você é mãe, é bem provável que tenha pensado – pelo menos uma vez – se deveria mesmo voltar ao trabalho depois da licença-maternidade. De fato, deixar o bebê ainda tão pequeno não é nada fácil. Mas para muitas mulheres, largar o emprego para cuidar do filho não é uma opção viável financeiramente. Outras não gostariam de deixar a vida profissional de lado. Diante desse dilema, é cada vez mais comum encontrarmos mães que trabalham em casa.

Quando ficou grávida sem planejar, a paulista Lucila Marchi, 47 anos, nem pensou em deixar o trabalho quando as filhas gêmeas nascessem. Mas nem por isso ela delegou totalmente os cuidados com Ana Luiza e Carolina – hoje com 5 anos – a uma babá ou berçário. Na época, ela e o marido Carlos já administravam de dentro de casa uma loja de comércio eletrônico especializada em soluções para telecomunicação. “Apenas nos mudamos do apartamento para um sobrado, para ter mais espaço para as meninas”, conta Lucila, que voltou a trabalhar um dia após chegar do hospital, sem nem tirar licença-maternidade.

Além de acompanhar de perto o desenvolvimento das filhas, Lucila aponta como principais vantagens de empreender “na garagem” a flexibilidade que tem para montar a própria agenda e o tempo que ganha por não precisar pegar trânsito diariamente. “Mas isso tudo também pode ser desvantagem”, pondera. “As crianças interrompem a qualquer momento e as tarefas domésticas e profissionais acabam se misturando”. Para não prejudicar a empresa, o casal precisou impor algumas regras. É proibido entrar no escritório sem bater e falando alto, por exemplo. Além disso, foi preciso contratar uma babá para cuidar das meninas durante o horário de trabalho. “Ainda assim, estou sempre por perto, sei o que está acontecendo com elas o tempo todo”, diz.

Se você também pensa em começar a trabalhar sem sair de casa, é preciso ter em mente que esse tipo de carreira é mais solitária. Muitas mulheres sentem falta justamente de sair do ambiente doméstico e se relacionar com os colegas de profissão. Lucila também lembra que empreender implica em mais dificuldade para tirar férias longas. E, quando a empresa fica dentro do seu lar, essa tarefa pode ser ainda mais árdua: viajar quase sempre significa fechar as portas do negócio, já que colocar uma pessoa estranha dentro da sua casa é delicado.

Para aliviar o estresse e não ficar o tempo todo dentro de casa, Lucila reservou um dia na semana para tirar folga – do trabalho e da família. “Aos sábados, cuido de mim mesma. Vou ao cinema, caminho, fico sozinha. É meu dia sagrado”.

O que fazer

As oportunidades de negócios que você pode tocar do conforto do seu lar vão desde a confecção de pequenos artesanatos até consultoria para grandes empresas. Confira as dicas de especialistas em empreendedorismo para você investir na sua carreira e ter uma fonte de renda.

- As atividades mais propícias para serem montadas em casa são as que podem ser feitas pela internet, como lojas de comércio eletrônico ou a venda de serviços

- Evite negócios que dependem muito do ponto comercial (a não ser que a sua casa fique em um ponto comercial privilegiado), como uma sorveteria, por exemplo

- Se você tem aptidão manual, há diversos artesanatos que você pode fazer em casa sob encomenda. A clientela pode ser formada tanto por consumidores finais quanto por lojas que queiram revender suas peças. Lembrancinhas de nascimento, batizado e aniversário, itens de decoração e brindes corporativos são boas opções

- A gastronomia ganha cada vez mais espaço no mundo dos negócios. Congelados em porções individuais para solteiros ou famílias pequenas e doces finos para festas podem ser feitos em casa e entregues sob encomenda

- O ramo de serviços tem diversas oportunidades para quem quer montar um home-office. Agências de turismo, organização de festas e eventos, tradução, consultorias em diversas áreas e até terceirização de serviços administrativos e de recursos humanos podem ser feitas de casa

- Divida bem o espaço físico da empresa dentro de casa (se tiver um ambiente só para o negócio, melhor) e o tempo que você dedica ao trabalho. Se você receber clientes e fornecedores constantemente, o ideal é ter uma entrada separada, para que brinquedos e choros não façam parte das reuniões

- Estabeleça um horário para trabalhar e peça que os demais adultos da casa cuidem das crianças nesse período. Da mesma forma, evite invadir o espaço doméstico com as questões profissionais

- Apesar de estar em casa, resista à tentação de trabalhar de pijamas! Vista-se com roupas que você colocaria para trabalhar fora de casa. Isso gera um efeito psicológico importante

- Procure orientação de entidades como o Sebrae para analisar a viabilidade da sua ideia e fazer um plano de negócios

veja também