Magnetismo Do Amor X Almas Divorciadas

Magnetismo Do Amor X Almas Divorciadas

Atualizado: Segunda-feira, 28 Janeiro de 2008 as 12

Coluna: Gláucio Marques   Magnetismo Do Amor  X  Almas Divorciadas

Qual a sua escolha?   

Certa mulher resolveu enclausurar seu único filho a fim de que ele não tivesse contato algum com mulheres e assim não viesse a se casar. Durante dezessete longos anos o universo desse garoto resumiu-se ao interior de sua casa. Sua mãe o privou de todo e qualquer vínculo com o mundo externo.

Ao completar seu décimo oitavo aniversário, a mãe resolveu presenteá-lo com um passeio pela cidade. Tudo era novo e maravilhoso para o pobre rapaz que havia passado a vida toda em clausura. Quando já estavam voltando para casa  aconteceu o encontro que a mãe tentou evitar durante todo o tempo: um grupo de moças estava saindo do colégio e ao olhar para elas a reação foi imediata. O rapaz  sentiu um calor no estômago e uma atração fora do comum.

- Mãe, quem são essas criaturas?

- Desvie o olhar meu filho. Essas criaturas terríveis são os demônios da terra!!!   

Já em casa a mãe quis fazer um balanço do dia e perguntou:

- Meu filho, do que você mais gostou neste passeio?  

- Eu gostei de tudo, mas o que mais me impressionou... foram os demônios da terra!

A mãe então percebeu que seu esforço durante todos aqueles anos fora em vão. Ela entendeu de uma vez por todas que o magnetismo existente entre um homem e uma mulher é dom de Deus, é dádiva do céu, pois como dizem as sagradas escrituras: "O amor é poderoso; suas brasas são brasas de fogo e veementes labaredas. As muitas águas não poderiam apagar o amor, nem os rios afogá-lo..." (Ct 8: 6-7).

Ora, mas então por que tantos casamentos perdem a força do amor com o passar dos anos? Por que milhares de casais sofrem o drama de um casamento marcado por  desentendimentos? Por que o relacionamento enfraquece e perde a graça? Por que tantos divórcios ? Onde foi parar o "magnetismo do amor" que uniu o casal?

A resposta a esses questionamentos é por demais abrangente. Todavia, um ingrediente que não pode faltar no relacionamento a dois é o espírito de perdão. É o perdão que põe nos olhos do casal a dimensão certa. É o perdão que encobre, sem mascarar, multidões de defeitos e falhas. Porém, quando não há esse espírito os motivos mais insignificantes podem desencadear o divórcio e o afastamento.

Quando não há perdão entre marido e mulher é exatamente isso que acontece: os pequeninos motivos tornam-se grandes razões; as insignificantes desavenças transformam-se em guerras poderosas e as pequenas feridas da alma se convertem em cânceres incuráveis.

Sem perdão no casamento destrói-se a unidade das almas. Ainda que continuem morando sob o mesmo teto, as almas se divorciam. Sem perdão dorme-se na mesma cama, mas não se tem uma cama comum para o companheirismo. A falta de perdão anula o efeito e o magnetismo do amor.

Temos a tendência natural de exigir e mandar, porém é o perdão e  a tolerância que lubrificam as engrenagens do relacionamento conjugal. É o perdão que gera, não lágrimas de crocodilo, mas lágrimas sinceras que lavam o coração e colocam diante do casal a possibilidade do recomeço.

Duas frases mantêm um casamento vivo: " Eu te amo!" e " Eu errei, você pode me perdoar?"

Há quanto tempo você não dirige essas palavras ao seu cônjuge? Coragem! Tome a iniciativa e comece hoje mesmo a resgatar o magnetismo do amor que um dia marcou seu casamento.     

Acredite, é possível!    

Glaucio Marques é pastor, teólogo, conferencista e escritor. Possui dez livros publicados. Entre suas obras literárias destacam-se "O caminho para um casamento feliz", " Não desista de sonhar" e "Motivação que vem do alto".

Contatos:  www.batistarenovada.com.br / [email protected]

veja também