Maria, não temas!

Maria, não temas!

Atualizado: Terça-feira, 8 Dezembro de 2009 as 12

Tempos atrás eu sentia pavor de viajar de avião! Tivemos duas filhas que também não gostavam de voar. Meu marido ainda hoje brinca, que tento frear o avião no ar! Pode até ser, mas acho que já superei grande parte do medo que tinha antes e que chegava a bloquear meu raciocínio.

Imagino, então, que se eu estivesse no lugar de Maria e visse o anjo Gabriel, com todo seu esplendor, naquele dia da proclamação, eu teria desmaiado ou gritado por socorro. Não sei... É difícil saber qual seria a reação a tão grande Teofania (manifestação de Deus)!

No sexto mês foi o anjo Gabriel enviado da parte de Deus para uma cidade da Galiléia, chamada Nazaré a uma virgem desposada com certo homem da casa de Davi, cujo nome era José; a virgem chamava-se Maria. E, entrando o anjo aonde ela estava, disse: Alegra-te, muito favorecida! O Senhor é contigo" (Lucas 1.26-28).

O relato bíblico nos fala que Maria reagiu de forma bem humana: "Ela, porém, ao ouvir esta palavra, perturbou-se muito e pôs-se a pensar no que significava esta saudação. Mas o anjo lhe disse: Maria, não temas; porque achaste graça diante de Deus" (Lucas 1.29-30).

Surpreendida e confusa, Maria tentou assumir o imperativo angélico de não temer aquela gravidez sem precedência. Corajosamente, aceitando o desafio, a jovem fez uma pergunta lógica ao anjo: "Como será isto, pois não tenho relação com homem algum?" (Lucas 1.34).

Maria só queria que o anjo do Senhor a ajudasse a compreender o que estava acontecendo. O anjo Gabriel, então, explicou que o bebê Messias nasceria sem um pai humano: "Descerá sobre ti o Espírito Santo e o poder do Altíssimo te envolverá com a sua sombra; por isso também o ente santo que há de nascer, será chamado Filho de Deus" (Lucas 1.35).

É curioso, porém achamos um paralelo deste ocorrido em Êxodo 40.34, e os protagonistas são: a nuvem e o tabernáculo-tenda no deserto: "Então a nuvem cobriu a tenda da congregação, e a glória do SENHOR encheu o tabernáculo". Assim, nas palavras do anjo, Maria é o novo tabernáculo feito de carne e osso a ser preenchido com a glória de Deus. Por esse motivo, aquele ente santo será chamado de O Filho de Deus. As Escrituras não nos dão maiores explicações deste mistério da concepção.

"Desta vez a glória do Senhor, (Heb.S hînâ) não entrará numa simples tenda coberta com peles de animais no deserto, chamado "tabernáculo," nem no luxuoso templo construído pelo rei Salomão (1 Reis 6.11), mas num tabernáculo vivo, no corpo da virgem Maria. As profecias eternas já começaram a tornar-se realidades".

Hilda Graef, Mary, A History of Doctrine and Devotion, London:

Sheed & Ward, 1985, pág.10

Maria, então, parece satisfeita com a explicação do anjo Gabriel. Ela aceita a vontade de Deus e responde: "Aqui está a serva do Senhor: que se cumpra em mim conforme a tua palavra. E o anjo se ausentou dela" (v.38).

Voltando no tempo uns seis meses antes, o mesmo anjo Gabriel havia aparecido ao sacerdote Zacarias, enquanto ele estava no santuário queimando incenso. O idoso Zacarias também se assustou com o anjo do Senhor que apareceu "...em pé, à direita do altar do incenso. Vendo-o, o sacerdote turbo-se, e apoderou-se dele o temor" (Lucas 1.11-12).

E o anjo também disse ao sacerdote, as mesmas palavras que mais tarde diria a Maria: "Não Temas". Só que, Zacarias não reagiu como ela, dispondo-se nas mãos de Deus. Ele continuou com medo e permaneceu incrédulo! Zacarias ficou, então, 9 meses sem poder falar! Será que foi um castigo por não crer, ou um sinal da confirmação de que chegara a hora de sua oração ser respondida?

"Não temas" é uma exortação que aparece muitas vezes na Bíblia. Nota-se que ela sempre vem acompanhada de alguma declaração consoladora, como no caso de Zacarias: "Não temas, porque tua oração foi ouvida; e Isabel, tua mulher, te dará à luz um filho" (Lucas 1.13). No caso de Maria, "Não temas; porque achaste graça diante de Deus" (Lucas 1.30).

Seis meses depois do encontro de Gabriel com Zacarias, quando Maria falou com o noivo sobre a gravidez e sobre o anúncio do anjo, José não acreditou nela e achou que estava sendo traído. Por ser um homem honesto e amar muito a Maria, resolveu romper o relacionamento secretamente. De acordo com a lei judaica, ambos deveriam ser apedrejados (20.10 e João 8.1-11). É... José estava num beco sem saída!

Mas... O anjo do Senhor apareceu a José num sonho para responder à pergunta que consumia seu ser: "Quem violou a minha Maria?"

O anjo, então respondeu acalmando-o: "José... Não temas receber Maria, tua mulher, porque o que nela foi gerado é do Espírito Santo" (Mateus 1.20-21). José teve sua mente acalmada pela seguinte declaração do anjo: Sua amada recebeu em seu corpo o Messias prometido que "salvará o seu povo dos pecados deles" (Mateus 1.20-21).

José creu, obedeceu, acatou a ordem do Senhor e recebeu Maria como sua esposa.

Naquela mesma época (os anjos estavam realmente trabalhando por ali!), pastores estavam no campo guardando o rebanho quando, repentinamente, na escuridão da noite um anjo apareceu. E o que ele lhes disse? Exatamente: "Não temais"! Como não ter medo?! Aquela afirmação era totalmente contrária ao bom senso! Ele disse: "Não temais: eis aqui vos trago boa nova de grande alegria, que o será para o todo o povo: é que hoje vos nasceu na cidade de Davi, o Salvador, que é Cristo, o Senhor" (Lucas 2.10-11).

Então, subitamente apareceu com aquele anjo uma multidão de anjos louvando a Deus. Milhares de luzes brilhavam à meia-noite. Naquele maior espetáculo da terra apareceram centenas de anjos louvando a Deus e dizendo:

"Glória a Deus nas maiores alturas, e paz na terra entre os homens a quem ele quer bem" (Lucas 2.14)

A frase "Não temas" aparece várias vezes na Bíblia. É bom saber que Deus poder para dizer carinhosamente a seus filhos: "Não temas", pelo fato dEle ser Soberano!

Enquanto estivermos vivos, enfrentaremos situações que nos provocarão medo. Algumas serão legítimas e concretas. Outras, porém, fruto da imaginação e por vezes nem chegarão a representar perigo real. Porém, todas mexem com nossas frágeis e humanas emoções.

Conhecedor tanto do medo, quanto da provisão divina, o rei Davi escreveu sua experiência pessoal engatilhada ao conforto de Deus: "Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal nenhum, porque tu estás comigo: a tua vara e o teu cajado me consolam" (Salmo 23.4).

Que neste Natal, o Deus Soberano faça habitação em sua vida e, daqui até a eternidade acalme e apazigue seus medos!

Por: Margareth Lachler - Enfermeira, bacharela em Letras, mestre em Religião, ex-professora da Faculdade Teológica de São Paulo. É casada com Karlos Lachler, têm duas filhas, 2 netas e moraram no Brasil por mais de trinta anos.

veja também