Masturbação, um fast food que mata a fome, mas vicia

Masturbação, um fast food que mata a fome, mas vicia

Atualizado: Terça-feira, 16 Outubro de 2012 as 2:37

 

Dani Marques, conselheira de relacionamento e dona do blog Salve Meu Casamento, diz que ‘masturbação é como Fast-food, uma forma rápida e prática de matar a fome, mas se for consumido em excesso, prejudica a saúde e pode viciar’.
 
A rede fictícia que ela chama de ‘Masturber King’ oferece os seguintes combos:
 
N° 1 - pornografia pela tv;
 
N° 2 - pornografia pela internet;
 
N° 3 - desejo por homens/mulheres alheios(as);
 
N° 4 - mulheres semi-nuas rebolando e se insinuando pelos programas de televisão, inclusive os infantis;
 
N° 5 - revistas pornográficas e ensaios sensuais;
 
N° 6 - novelas e comerciais recheados de sensualidade;
 
N° 7 - meninas circulando pelas ruas, shoppings e inclusive igrejas com roupas da grife "piriguete": calças e blusinhas do tipo "segunda-pele" e saias "abajur de perereca".
 
“O dono desta rede não está muito preocupado em saber qual combo você vai comprar, na verdade, a intenção dele é te persuadir e seduzir para que na hora da "fome", você recorra ao "lanchinho rápido" para satisfazer a sua necessidade. O interesse deste empresário é enriquecer as suas custas. Ele não quer saber do estrago que esta qualidade de alimento vai causar à sua saúde física e emocional (inclusive à saúde do seu relacionamento conjugal). Na verdade, o seu interesse é fazer com que você se torne um cliente vip da rede ‘Masturber King’”, alerta.
 
No artigo, a autora fala sobre a masturbação isolada e não sobre a masturbação compartilhada ou como preliminar ao sexo.
 
Dani Marques lembra que o pecado não está no ato da masturbação, mas sim no desejo que levou à masturbação. “Uma pessoa só sente o desejo de se masturbar depois que gastou certo tempo se alimentando de pornografia, imagens sensuais ou pensamentos eróticos.”
 
Apocalipse 3:20 (Eis que estou à porta e bato. Se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei e cearei com ele, e ele comigo.) e Marcos 2:17 (Não são os que têm saúde que precisam de médico, mas sim os doentes. Eu não vim para chamar justos, mas pecadores) são citados pela autora para lembrar que o Senhor está disposto a perdoar, sempre.
 
E quando o cônjuge, por motivos mais sérios, não pode satisfazer o desejo do outro? Para Dani, o conselho é resolver o problema em um minutinho, pensando no cônjuge e nada mais.
 
“O que é melhor, não se masturbar e ficar ardendo em desejo, ou se masturbar pensando no seu cônjuge e resolver o problema?” indaga.
 
Para quem é casado e sofre com a masturbação, a escritora alerta: “Nada vai conseguir te fazer se livrar deste vício. Sua única saída é Cristo.”
 
 

 

veja também