Muitos idosos precisam de prótese dentária

Muitos idosos precisam de prótese dentária

Atualizado: Sexta-feira, 7 Outubro de 2011 as 10:01

Uma importante notícia publicada nos meios de comunicação na última semana do ano de 2010 traz números importantes: uma pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde revelou que mais de três milhões de idosos brasileiros precisam de próteses dentárias totais ou parciais, ou seja, mais de três milhões de idosos não podem sorrir como gostariam.

Por outro lado, a pesquisa aponta uma diminuição da incidência de cáries dentre as crianças de até 12 anos. Esta discrepância pode revelar uma anterior falta de assistência odontológica, que afeta atualmente os maiores de 65 anos.

O cuidado com a saúde bucal e o uso de próteses parece ser área de atenção exclusiva dos odontólogos, mas é importante pensar em alguns aspectos que dizem respeito à psicologia.

Algumas pessoas, em especial idosas, se recusam a ir ao dentista por um motivo que pode parecer banal, porém é muito sério: o medo de dentista. Ao contrário do que podem se pensar, este medo não é exclusivo das crianças e acaba por impedir que o idoso previna problemas bucais e cure os já instalados. O idoso deve deixar o medo de lado e ir ao idoso regularmente. Nos casos em que não é mais possível recuperar os dentes, as saídas são mesmo as próteses (mais acessíveis financeiramente) e os implantes (cujos preços ainda são mais elevados). Nos casos em que o medo de dentista realmente atinge proporções patológicas, é importante procurar ajuda psicológica. Lembre-se que não ir ao dentista pode livrar o paciente da dor ocasionada pela realização de alguns procedimentos, mas pode expô-lo às temíveis dores de dentes.

As próteses podem melhorar significativamente a qualidade de vida do idoso. Poder sorrir sem constrangimentos pode garantir ao idoso maior participação na vida familiar e social. Um idoso que não tem dentes, ou cujos dentes não estão em ordem, normalmente terá baixa autoestima e dificuldades em se relacionar com outras pessoas, pois uma boca apresentável funciona como uma espécie de cartão de visitas da pessoa.

Pode-se perceber que o idoso que usa prótese tem uma melhor autoestima, porém se preocupa em nunca aparecer publicamente sem os dentes. Desta forma, situações nas quais ele precisa retirar a prótese (como consultas ao dentista, cirurgias, dentre outras situações) podem ser tão constrangedoras para ele quanto se despir perto de outras pessoas. Nos casos em que é necessário que o idoso retire sua prótese na presença de um profissional de saúde ou cuidador, é necessário que este aja com naturalidade, sempre que possível permitindo que o idoso fique sem a prótese o mínimo de tempo possível, na presença de um menor número de pessoas e que o próprio idoso seja responsável pela higienização da prótese.

Vale a pena ressaltar que ficar sem os dentes ou utilizar uma prótese inapropriada pode trazer problemas de mastigação, na deglutição ou na fala do idoso, ou seja, é um problema muito mais amplo do que se pode imaginar!

Importante que o Ministério da Saúde consiga melhorar estes números nas pesquisas futuras! Além de disponibilizar próteses dentárias aos idosos, é importante pensar em programas de prevenção primária e secundária na saúde bucal das pessoas adultas, de meia idade e idosas, como já tem acontecido com as crianças e adolescente. O Brasil é um país em processo de envelhecimento populacional e é muito importante que nossos idosos possam sorrir! Ter um sorriso bonito é muito mais que vaidade!

veja também