Mulheres às vezes encontram um conflito entre ser mãe e ser mulher

Mulheres às vezes encontram um conflito entre ser mãe e ser mulher

Atualizado: Sexta-feira, 28 Maio de 2010 as 11:21

A chegada de um filho mexe profundamente com qualquer casamento, pois se antes eram apenas dois, agora há um terceiro membro que, por um período de tempo (não muito curto), dependerá totalmente da atenção e dos cuidados desses dois.

Se antes existia apenas um homem e uma mulher, hoje existe um homem, uma mulher, um pai e uma mãe. E é nessa mudança que muitos conflitos aparecem. A tendência natural da mulher é, durante os primeiros meses, deixar de lado os papeis de esposa, profissional, filha e amiga para dedicar-se totalmente ao papel de mãe.

No entanto, após alguns meses é necessário que a mulher retome os seus outros papéis para que não perca a feminilidade, se realize profissionalmente e seu casamento não entre em crise.

Com relação ao casal, alguns encaram juntos a nova fase e se tornam ainda mais unidos, outros passam por momentos de crise, mas superam e um terceiro grupo, ainda, vê o casamento desmoronar.

Os fatores que levam a abalar o casamento são: a dificuldade de "desgrudar do filho", o pensamento da mãe de que mais ninguém (nem o marido) saberá cuidar da criança, a queda de auto-estima, gerada pelas mudanças no corpo, e a sublimação da imagem de mãe,ou seja, a ideia de que a mãe tem que ser uma pessoa pura e quase que angelical, que se dedica integralmente aos filhos.

Nessa nova fase de vida, os maridos tendem a reclamar da falta de interesse e recusa das esposas com relação a prática sexual. Os maridos continuam vendo as mulheres como mulheres e não como mães, preservando o desejo com relação a parceira. Já as mulheres tendem a deixar um pouco de lado ser esposa, pois culturalmente temos a imagem de que mães são assexuadas.  

Cabe ao marido um pouco de paciência e a mulher um pouco de empenho para resgatar a sua feminilidade e aos poucos sentir saudade do marido, do namoro, dos programas a dois.

Mas, atente-se ao fato de que filhos não necessariamente fortalecem a relação: se a balança emocional não estiver equilibrada e o relacionamento fortalecido antes da gravidez, o casamento, confrontado com tantas mudanças, vai sofrer e em alguns casos a separação torna-se inevitável.

Nessa nova fase da vida é muito comum as mulheres se sentirem culpadas por não se dedicarem 100 % a carreira, perderem a vontade de se cuidar e de fazer coisas que lhe dão prazer por não saberem lidar com as mudanças.

Portanto, se você é mãe ou está aguardando ansiosamente a chegada do seu bebê, preste atenção ao seu relacionamento, a qualidade do seu trabalho, a sua realização pessoal e a importância do seu parceiro na sua vida para que você tenha consciência que, além dos cuidados com o bebê, deverá manter os cuidados com o seu relacionamento, sua carreira e principalmente você mesma.  

Por Milena Lhano

Especialidade: Terapia floral e fitoterapia

veja também