Na hora do casamento, noivos só pensam mesmo é na lua de mel

Na hora do casamento, noivos só pensam mesmo é na lua de mel

Atualizado: Quarta-feira, 30 Junho de 2010 as 11:11

Se um homem souber a diferença entre um vestido de noiva Vera Wang para um Christian Lacroix, brigar pela cor salmão (ou salmon, como preferem as mulheres que frequentam a Daslu) no lugar do laranja claro e ainda teimar pelo camafeu de nozes em vez do bem casado, então tem algo estranho no casório. Na feira Casar2010 era mais fácil encontrar uma viúva do que um homem prestes a casar.

Jacqueline Dallal Mikahil, da agência Be Happy, especializada em luas de mel, conta que os homens se afastam das decisões do matrimônio, mas opinam na viagem. "Mesmo porque, a lua de mel é que é o momento do homem; momento dele se mostrar", fala.

É muito mais fácil decidir qual destino, do que a cor do vestido, os músicos, o arranjo de flores, o convite. As mulheres dominam está área. Basta ver os estandes da feira na Daslu. Dominadas por mulheres provando doces, escolhendo álbuns de fotos e tomando drinques.

"O homem não vem para cá, ele vai ficar no boteco bebendo. Se ele der algum palpite, ele vai estar errado de qualquer jeito", diz Leonardo Gouvêa, sócio da empresa Flávia Gurgel, que organiza casamentos. "Sabe o que eles decidem mesmo? A lua de mel e o carro que irá levar a noiva até a igreja".

Juliana Kuhn e José Flávio Pacheco vão se casar em abril de 2011. Os dois estavam juntos na feira. "Ele até deixou de ir ao trabalho, para estar aqui", revela a noiva. Flávio está na contramão da maior parte dos homens: ele opina e é ativo nas escolhas. Brigas? Ele diz não ter tido nenhuma ainda. "O segredo é adorar a noiva", fala ele; e é claro, respeitar a vontade dela.

Outra saída adotada por José Flávio, no entanto, não escapa da regra geral: "Ela fica com a festa e eu com a lua de mel". Juliana argumenta: "ele pode escolher, desde que seja em um lugar romântico. O noivo, que não é bobo, já fechou o destino: Veneza, Roma e Costa Amalfitana. A lua de mel foi aprovada pela futura mulher.

Por: Rafael Kato

veja também