Não só o que se fala, mas como se fala: sucesso no relacionamento é diálogo

Não só o que se fala, mas como se fala: sucesso no relacionamento é diálogo

Atualizado: Terça-feira, 8 Fevereiro de 2011 as 2:19

O estudo, feito pela equipe de James Pennebaker, da Universidade do Texas, procurou saber como as chamadas “palavras funcionais” – ou “palavras de classe fechada”, que são os artigos, as preposições, as conjunções, os pronomes e as interjeições e que servem como elementos de ligação frasal com baixo nível de sentidos semânticos próprios – e que, de acordo com o pesquisador, constituem boa parte de nosso estilo de falar e escrever.

“As palavras funcionais são uma ferramenta altamente social e é preciso ter habilidades sociais desenvolvidas para usá-las”, diz Pennebaker. “Por exemplo, quando falo de um determinado tema em um diálogo e após algum tempo eu retorno para complementá-lo, tanto ‘eu’ quanto ‘você’ sabemos do que se trata. Mas alguém de fora da primeira parte da conversa, não”. O pesquisador aponta que fazemos essas ligações por meio de palavras funcionais, o que garante um diálogo relativamente ininterrupto, ou então que as pessoas estejam “na mesma sintonia”.

Pennebaker e sua equipe analisaram tanto o estilo de verbalização quanto os estilos de escrita de pares mistos de indivíduos durante testes onde esses homens e mulheres tentavam prever seus comportamentos em futuros eventos sociais e sobre o próprio relacionamento. Para isso os pesquisadores organizaram uma série de encontros rápidos entre estudantes universitários, onde eles tinham aproximadamente quatro minutos para conversar sobre os temas propostos e assuntos que quisessem. Quase todas as conversas giraram em torno de temas similares e basicamente as respostas pareciam as mesmas, também.

O que se observou nos experimentos, entretanto, foi como os pares sincronizavam suas conversas durante esses diálogos. Os pesquisadores também monitoraram a quantidade de casais que retomaram contato após o experimento e chegaram à conclusão de que quanto maior a sincronia no uso de palavras funcionais, maiores as chances de esses casais desenvolverem um relacionamento afetivo.

Outro experimento analisou os logs (as transcrições de diálogos em softwares de mensagens instantâneas) de casais que estavam nas primeiras semanas de relacionamento. Aproximadamente 80% dos casais que tinham estilos de escrita similares estavam juntos três meses após o experimento, assim como 54% dos casais que não tinham a mesma sincronia.

Os pesquisadores indicam que o que se fala para o parceiro é tão importante quanto o modo de se falar, pois inconscientemente essa sincronização do diálogo pode contribuir para melhorar o relacionamento, aumentando as chances de ele durar.

veja também