Noivado e casamento

Noivado e casamento

Atualizado: Terça-feira, 8 Setembro de 2009 as 12

As habilidades domésticas e os dons espirituais fazem parte de um conjunto de fatores que capacitam a mulher a cuidar do seu maior ministério aqui na Terra: a sua família. Segundo dados relatados no livro de Gênesis, o Senhor fez Eva para Adão e só depois deu trabalho para eles.

Da mesma forma, o que irá capacitar um homem é a sua capacidade de prover dentro de sua casa, cuidar e proteger sua família. O homem é orientado a assumir o papel de provedor e a amar sua esposa como a si próprio.

No caso da mulher, a Bíblia diz que há diferença entre a casada e a solteira, pois a solteira cuida das coisas do Senhor e a casada, do marido. Para as que desejam viver exclusivamente para a obra de Deus, é importante avaliar se vale a pena arriscar constituir um lar. O maior campo missionário da mulher é seu marido e seus filhos. É preciso primeiro confortar Jerusalém, para depois alcançar a Judéia, Samaria e os confins da terra. Uma mulher de Deus, antes de se dedicar à Igreja, precisa primeiramente se dedicar à sua família.

Esposas precisam conhecer melhor os seus maridos, e maridos suas esposas. Ambos possuem carências e necessidades básicas. A falta de amor e atenção gera distanciamento no relacionamento e também na vida espiritual.

Muitas esposas reclamam que seus maridos as trocam por um jogo na televisão ou por um filme, mas não vigiam quando eles chegam do trabalho e elas estão grudadas em uma novela. O pouco tempo que os dois têm para dialogar, projetar algo grande, ler a Palavra de Deus, orar e até namorar, acaba se perdendo com coisas fúteis.

A rotina acaba distanciando o casal e quando os dois se dão conta já estão vivendo como estranhos debaixo do mesmo teto. A esposa precisa conhecer o seu marido para que ele possa corresponder também às suas necessidades. É preciso que haja uma comunicação perfeita entre os cônjuges e isso requer tempo e dedicação.

Todas essas coisas precisam ser conversadas e acordadas no noivado. Esse período pré-casamento não dá liberdade para o casal manter relações sexuais, nem intimidades, mas é um tempo separado para discutir, planejar e projetar grandes e pequenas coisas como a rotina diária. Assim também como desenvolver a capacidade de ceder diante de situações difíceis.

veja também