Novos programas para o pós-parto

Novos programas para o pós-parto

Atualizado: Segunda-feira, 6 Junho de 2011 as 9:13

Após o nascimento do bebê, a mãe começa a pensar sobre a retomada das atividades físicas. Geralmente, a dúvida é a mesma: como voltar ao peso ideal e recuperar as formas que o corpo tinha antes da gestação? Muitas mulheres se sentem mal por pensar assim, mas, paralelamente aos cuidados com o recém-nascido, é preciso planejar o pós-parto. Dedicar alguns momentos do dia a ela mesma faz com que a mãe se sinta mais preparada para encarar o novo estilo de vida e cuidar do bebê com ainda mais disposição e amor.

Alguns spas já oferecem pacotes especiais para as mães. Atividades interativas entre a mulher e o bebê fazem parte do programa e a babá tem lugar garantido na maioria dos estabelecimentos. “Muitas mães não vão ao spa, pois o sentimento de culpa existe. Mas, a partir do momento que o pediatra liberar o bebê, se o local disponibilizar de uma estrutura adequada, a mulher pode freqüentar sem receio”, diz Luciana Taliberti, obstetra do Hospital São Luiz, em São Paulo. E, para convencer até as mais preocupadas com a adaptação da criança à nova casa, há programas diários para não ficar em um local estranho por muito tempo. Mas, antes de partir para massagens, exercícios aeróbicos e alimentação controlada, é preciso garantir que nada disso vai prejudicar o bebê, principalmente durante a amamentação.

A maior parte dos estabelecimentos que oferecem esse tipo de serviço exige que a mãe comece os exercícios a partir do segundo mês pós-parto e traga uma autorização por escrito de seu médico, atestando que ela está apta para as atividades. Obstetras e ginecologistas concordam com esse tempo. “É necessário um intervalo de 60 dias para retomar as atividades físicas. Drenagens e banhos relaxantes podem ser feitos com 45 dias”, explica Julio Barbosa, obstetra do Hospital Santa Catarina, em São Paulo.

Além de solicitar o atestado do médico que acompanhou a gravidez e o pós-parto, é interessante que o spa tenha um especialista disponível 24 horas por dia, “O médico deve estar no local para qualquer urgência. Caso caia a pressão da mãe, por exemplo”, explica Luciana Taliberti.

Massagens e banhos

A drenagem linfática ajuda a diminuir os edemas no corpo e elimina o líquido retido após o nascimento do bebê. Imersões em banheira com água do mar aquecida também são feitas para auxiliar a cicatrização e remover toxinas, mas, segundo especialistas, não há comprovações científicas dessas ações, “Essas práticas terapêuticas atuam muito mais no sentido relaxante”, diz Julio Barbosa. Caso o banho de imersão seja feito junto com o bebê, a mãe precisa se certificar de que a água está em boas condições e que não contém óleos ou cremes que possam irritar a pele do recém-nascido.

Exercícios posturais

Muitas vezes, durante a amamentação, a mãe deixa a coluna cervical tensa, o que provoca dores. O posicionamento da mulher durante a amamentação também pode causar tendinite ou burcite, por conta do peso do bebê. Alguns spas oferecem exercícios para correção de postura, o que é supereficaz. A única exigência médica é que estes exercícios sejam aplicados por fisioterapeutas especializados em mulheres que acabaram de dar à luz.

Shantala

Ao massagear seu filho, a mulher se sente mais próxima dele e aumenta sua capacidade de proteção, já que o exercício ajuda a amenizar as cólicas do bebê. Não há restrições para a shantala em si, mas a mãe precisa ter a liberação médica para que o bebê possa freqüentar locais com um fluxo maior de pessoas, como os spas.

A dieta alimentar

Em média, spas com serviço para mães recentes oferecem seis refeições diárias, mas, por se tratar de mulheres que ainda podem estar amamentando, uma sétima refeição pode ser feita. “É preciso balancear carboidratos, proteínas e gorduras, o que não foge muito da nossa pirâmide alimentar. A gordura de boa qualidade é importante para a formação de leite também de boa qualidade para o bebê”, diz o endocrinologista do Hospital São Luiz, Alex Leite. Alimentos com gordura poliinsaturada ajudam na formação das membranas celulares da criança, pois contêm Ômega 3, portanto, devem ser os escolhidos pela mãe. É importante a mulher ingerir derivados de leite, peixe, frango e carne vermelha. Se tiver que optar por um dos tipos de carne, aquela de origem animal que melhor repõe ferro – necessário para substituir os estoques utilizados na gravidez e no parto – é a vermelha.

Nos spas, sempre há um nutricionista para orientar as pacientes. Cada uma deve ser acompanhada e ter sua dieta estruturada de acordo com suas necessidades. “Uma mulher diabética que está amamentando, por exemplo, corre o risco de hipoglicemia quando está fazendo tratamento com insulina. Por isso, é importante não faltar carboidrato em suas refeições, para manter seus níveis de glicemia”, explica Alex Leite.  

veja também