O conceito de sexualidade

O conceito de sexualidade

Atualizado: Quinta-feira, 31 Janeiro de 2008 as 12

Coluna - Tonina Miraglia

O conceito de sexualidade

Em 1.997, acompanhava adolescentes e jovens já há alguns anos e observei que essa área, chamada Sexualidade, ainda não era esclarecida o suficiente.O que sabemos é que antigamente não havia diálogo. Não importava o nível de escolaridade, a que família pertencia, o nível social ou poder aquisitivo.

Pais que abordavam Educação Sexual em casa constituíam a imensa minoria.

Com a Revolução Sexual, resultado do lançamento do anticoncepcional, associada ao Movimento Feminista e à mídia que se incumbiu de propagar essas idéias em massa (o chamado Amor Livre), o assunto ficou aberto.

Alguns podem pensar que o mito foi quebrado, o paradigma foi mudado. Mas se olharmos bem de perto, veremos que o que mudou foi só a ambição e a abordagem.

Se o discurso era o de que tudo era proibido, não importando o que acontecia realmente, agora tudo parece permitido. Mas a mentalidade por traz disso não mudou.  

Se de um lado existe uma imposição agressiva para que todos se comportem de uma maneira (agora, que se iniciem sexualmente o mais cedo possível), por outro lado, existe uma desinformação significativa.

Apesar do esforço, bem intencionado de alguns profissionais, o diálogo livre, não-tendencioso, continua não existindo.

O que continua faltando é a liberdade de expressão entre quem tem ou poderia ter a informação e as outras pessoas, infelizmente tão passivas e cordatas.

Talvez essa tenha sido a razão pela qual comecei a estudar, pensar e escrever sobre o assunto, sem deixar nunca de conversar com pessoas.

Assim como sabemos que jovialidade não se relaciona necessariamente a alguém que esteja numa faixa etária considerada jovem, mas a alguém com a alma que expressa ânimo, alegria, capacidade de sonhar, olhar para o futuro com boas expectativas. Da mesma forma, Sexualidade é uma expressão que independe da atividade sexual.

É a expressão do conjunto de atributos físicos, formado pelos nossos órgãos genitais, aparelho reprodutor e sistema hormonal. Basicamente associados à nossa alma: pensamentos, sentimentos e comportamento.

Não há como reprimir, sem adoecer.  

Não há como expressar, sem conhecer.

Nossa Sexualidade é parte da nossa identidade.

Precisamos e devemos nos conhecer melhor, para expressar uma sexualidade saudável que faça bem a nós e às pessoas ao nosso redor.

Tonina Miraglia é formada em psicologia, com especializações em Psicoterapia e Desenvolvimento Humano; ministra Seminários sobre Relacionamento.  É autora de um projeto que se chama WAIT e fala especificamente sobre Sexualidade.  Atua com aconselhamento e ministra cursos em comunidades, escolas e organizações.

Contato: www.toninafreitas.blogspot.com

                 [email protected]

veja também