Orgasmo x Caminhar

Orgasmo x Caminhar

Atualizado: Segunda-feira, 19 Abril de 2010 as 12

Como é o jeito que você caminha? Saiba que ele pode dizer muito sobre a sua sexualidade. Estudo realizado por pesquisadores escoceses e belgas avaliou estudantes universitárias por meio de um questionário sobre sua vida sexual e a maneira como andavam em público. O resultado (e objetivo da pesquisa) mostrou que sexólogos treinados podem deduzir, em mais de 80% dos casos, por meio da observação, quais são as mulheres que têm orgasmos vaginais. Quanto mais sensual for seu caminhar, mais chances têm dela apresentar os orgasmos.

Para Franciele Minotto, ginecologista, obstetra e terapeuta sexual, embora o estudo seja piloto e feito com uma população bem específica (universitárias), a postura da mulher dá indícios, sim, da maneira como ela é no sexo. "Mulheres que ao andar têm jogo no quadril, colocam um pé na frente do outro, os ombros para trás e o queixo paralelo ao chão têm uma tendência maior de ser aquelas que têm orgasmos vaginais com o parceiro", diz.

Mas tudo depende da fase da vida da mulher. Os compromissos que a estudante tem são diferentes dos da mãe, com o trabalho, a casa, o marido, o filho e - por que não? - os estudos para conciliar. E mesmo aquelas com um andar mais sensual podem estar numa semana difícil, com uma TPM ou problema para resolver. Tudo pode influenciar no sexo: o biológico, o psicológico, o emocional e o social, lembra Franciele.

Vale uma dica. "A mulher precisa saber que tem uma musculatura pélvica que pode ser trabalhada para levá-la ao orgasmo", afirma a terapeuta. Entre os vários exercícios que existem para isso, há um básico: contrair e relaxar a musculatura. Se não deu para entender, quando estiver fazendo xixi, segure-o um pouco e depois solte. É esse o movimento que deve ser feito.

E, se você acha que o excesso de atributos da vida de mãe pode ser um problema para o orgasmo, saiba que há estudos que mostram que mais de 70% das mulheres depois do parto ou ficaram com o orgasmo inalterado ou ele melhorou. E há diversas respostas para o fato: uma é a de que, com o peso do útero, há um trabalho do assoalho pélvico que acaba ficando mais tenso e outra seria que, após ter um filho, a mulher se sente mais segura, feliz e realizada. O que só pode ajudar na hora do namoro com o marido.

por Ana Paula Pontes

veja também