Ovário policístico pode desencadear diabetes

Ovário policístico pode desencadear diabetes

Atualizado: Sexta-feira, 19 Fevereiro de 2010 as 12

Mulheres com síndrome do ovário policístico têm sete vezes mais risco de ter diabetes e tendem a se tornar diabéticas 10 anos mais cedo que as mulheres normais. O alerta é da Divisão de Ginecologia do Hospital das Clínicas, da Faculdade de Medicina da USP.

Segundo o ginecologista Gustavo Arantes Rosa Maciel, especialista no assunto, o impacto na saúde da mulher é grande, uma vez que a síndrome acomete de 7% a 10 % das pacientes em idade reprodutiva. Cerca de 28% dos casos em acompanhamento pelo ambulatório têm riscos metabólicos, apresentam obesidade e/ou diabetes.

Diante do quadro, o médico enfatiza que as pacientes com ovário policístico devem ser cuidadosamente avaliadas em relação à resistência à insulina e às alterações endócrino – metabólicas, associações que podem desenvolver diabetes, hipertensão arterial e risco cardiovascular aumentado.

O uso de anticoncepcionais como forma de tratamento não é o suficiente. "É preciso investigar outros fatores de riscos, como alterações da glicose, colesterol, triglicérides e pressão. A circunferência abdominal também deve ser avaliada para diminuir as complicações futuras, explica o médico.

A Divisão de Ginecologia do HC conta com um ambulatório específico para estudar a relação da síndrome com as alterações metabólicas, além do aspecto ginecológico. A ideia é conhecer o perfil genético e clínico das mulheres para um tratamento individualizado.

A síndrome de ovário policístico é um distúrbio benigno, de causa desconhecida. Ela normalmente se inicia na puberdade e tem controle medicamentoso.

"Sabemos que há um aumento na produção de insulina devido a uma diminuição de sua ação nas células do organismo. Esse aumento leva a uma maior produção de andrógenos (hormônio masculino) pelos ovários. Além disso, há uma disfunção na produção dos hormônios da hipófise, responsáveis pelo controle dos ovários. Essas alterações hormonais provocam acúmulo de microcistos nos ovários", explica o médico.

Os sintomas são irregularidades na menstruação, aumento de acnes e aumento de pelos no tórax, queixo, buço, abdômen e coxas. O desequilíbrio hormonal também é a causa mais comum de infertilidade e aumento de peso.

veja também