Pais devem estar atentos às mudanças no aspecto habitual da pele do bebê

Pais devem estar atentos às mudanças no aspecto habitual da pele do bebê

Atualizado: Quinta-feira, 16 Setembro de 2010 as 2:41

A pele é o maior órgão do corpo, chega a ter dois metros quadrados e a pesar em torno de quatro quilos. Apesar de tão visível, nem todo mundo dá a importância devida para esse órgão que tem várias funções, entre elas, a de ser uma barreira de proteção do organismo.

A pele do recém-nascido e dos bebês durante o primeiro ano de vida exige muitos cuidados porque ainda está em desenvolvimento. No caso de prematuros, essa atenção deve ser ainda maior, pois é mais um fator de risco.

No entando, esses cuidados ficam por conta das equipes de enfermagem das maternidades, já que o estado de saúde dos bebês exige uma internação prolongada, muitas vezes além das duas a quatro semanas necessárias para atingir a maturidade dos bebês em geral.

Segundo, o médico Paulo Telles, pediatra e neonatologista do Hospital Albert Einstein de São Paulo, os prematuros de 35, 36 semanas, nascem com a pele bem parecida com a de recém-nascidos com o tempo completo de gestação. Já os prematuros extremos, com 26 semanas de gestação, geralmente ficam no hospital por pelo menos dois meses, aos cuidados das equipes médica e de enfermagem. E quando recebem alta, a pele já não exige um tratamento diferente dos outros bebês.

O pediatra explica como devem ser os cuidados com a pele das crianças:

Educar e Cuidar - Quais as funções da pele e como ele se desenvolve no primeiro ano de vida?
Paulo Telles - Logo ao nascimento, a pele do bebê já é estruturalmente muito semelhante à de um adulto, possuindo diversas funções. Trata-se de um órgão sensorial, através da pele temos a percepção de calor e frio, de pressão, de toque, de dor. É um órgão excretor, através das glândulas sebáceas (sebo) e sudoríparas (suor), que também participam do sistema regulador de temperatura corporal. É um órgão secretor, produtor de vitamina D. É um órgão de defesa, pois funciona como barreira de permeabilidade seletiva, como barreira para os raios ultravioleta, além de barreira mecânica contra infecção e lesões. Por esta complexidade e multiplicidade de funções, ela é um ótimo exemplo da interação entre os sistemas psíquico, nervoso, endócrino e imunitário

Educar e Cuidar - Como essas funções se encontram no recém-nascido prematuro?
Paulo Telles - Nas primeiras duas semanas de vida dos recém-nascidos prematuros, a função de barreira está muito diminuída, traduzindo-se em perda de calor, água, calorias, eletrolitos e proteínas.

Educar e Cuidar - Qual a importância do estágio de desenvolvimento da pele para o recém-nascido prematuro?
Paulo Telles - Quanto mais prematuro o bebê, mais imatura a sua pele. Desta forma, quanto menor a idade gestacional do bebê, maiores os riscos e mais imaturas as suas funções. A epiderme do prematuro é bastante diferente da do bebê de termo (de nove meses). Só começando a se desenvolver por volta de 30 semanas de idade gestacional, entre 24 e 30 semanas, o estrato córneo da epiderme é limitado a uma fina camada de células achatadas, aumentando a perda insensível de água e a absorção de substâncias químicas e medicamentos. A barreira mecânica também encontra-se comprometida, aumentando os riscos nos traumas e infecções.

Educar e Cuidar - Em geral, qual o tempo de desenvolvimento completo da pele de um prematuro após o nascimento?
Paulo Telles - Normalmente, após o nascimento, independente da idade gestacional, a pele do prematuro sofre uma maturação acelerada, com aumento da espessura da epiderme e do estrato córneo, tornando-se em cerca de duas semanas semelhante a do recém-nascido termo.

Educar e Cuidar - Quais os cuidados que devem ser tomados com a pele dos bebês prematuros? A exposição ao sol, o banho, o uso de produtos de higiene e de hidratação são fatores que podem ajudar ou prejudicar o bom desenvolvimento da pele dos prematuros?
Paulo Telles - Normalmente, os cuidados diretos na pele do bebê prematuro serão feitos no berçário ou unidade de cuidados intensivos neonatais. Algumas características da incubadora, como maior umidade do ar e parede dupla, reduzirão a perda insensível de água. Dada a fragilidade da pele e estado clínico mais instável nos primeiros dias de vida, só se deve limpar estritamente o necessário, com água morna ou soro e algodão. Após algumas semanas de vida, a pele poderá ser lavada com água morna, eventualmente com cremes ou óleos hidratantes após o banho, sempre com cuidado de não usar perfumes ou conservantes, para evitar absorção de substâncias químicas. Da mesma maneira, a exposição ao sol em uma pele mais imatura deve ser evitada.

Educar e Cuidar - Em que período os cuidados devem ser maiores? O que mais agride a pele dos bebês prematuros, o frio ou o calor?
Paulo Telles - Os cuidados devem ser maiores nas primeiras duas semanas de vida, como dito anteriormente, período de maturação da pele prematura. Frio e calor devem ser evitados, pois agirão de forma mais agressiva pela maior dificuldade em manter a temperatura do corpo na pele do prematuro.

Educar e Cuidar - Quais os riscos de uma pele mal cuidada para a saúde geral do bebê prematuro?
Paulo Telles - Os riscos principais serão aumento da perda insensível de água e desidratação, processos infecciosos cutâneos e até mesmo sistêmicos, perda de calor e hipotermia.
Considerando as crianças em geral:

Educar e Cuidar - Quais os sinais da pele que devem ser observados pelos pais?
Paulo Telles - O mais importante é estar sempre atento para mudanças no aspecto habitual da pele do bebê, como surgimento de manchas novas, avermelhadas, brancas, ou escuras, rachaduras, descamação, bolhas, pustulas e edemas ou inchaços.

Educar e Cuidar - Manchas vermelhas nas bochechas ou outras partes do corpo e os sinais de ressecamento e de escamação devem ser considerados normais e passageiros ou precisam ser tratados?
Paulo Telles - Todas essas alterações descritas são muito frequentes agora no inverno, leve hiperemia nas bochechas pode ser normal, mas devemos estar sempre atentos à descamação e ao ressecamento, que podem piorar e precisar de tratamento. Por isso, a hidratação e a proteção da pele devem ser feitas como prevenção diária para a tão sensível pele do bebê.

Educar e Cuidar - O uso de hidratantes em bebês é recomendado? Rotineiramente, para todas as crianças ou apenas em casos excepcionais?
Paulo Telles - A pele possui uma função excretora através das glândulas sebáceas e sudoríparas, que produzem oleosidade que protege e hidrata a pele. Em algumas situações, podemos alterar essa produção e precisar de hidratação extrínseca, que pode ser feita com cremes hidratantes e óleos, no entanto, o ideal é sempre consultar um profissional, como pediatra ou dermatologista, que irá avaliar a pele do bebê e indicar a frequência e o produto ideal a ser usado.

Educar e Cuidar - O que é mais prejudicial para a pele das crianças em geral, a falta ou o excesso de banhos?
Paulo Telles - O banho demorado, muito quente ou o uso inadvertido de sabão e sabonetes pode tirar a oleosidade e a proteção da pele podendo assim ser prejudicial ao bebê

Educar e Cuidar - Quais os prejuízos causados por banhos demorados?
Paulo Telles - Ressecamento da pele, eczemas, rachaduras e até processos infecciosos secundários.

veja também