Papo de bebê

Papo de bebê

Atualizado: Terça-feira, 19 Outubro de 2010 as 10:55

A maneira como você fala com seu filho vai influenciar no desenvolvimento de sua linguagem e pode afetar até mesmo o seu QI. Mas calma! Sem pressão! A gente te ajuda a fazer de seu filho um grande tagarela

Eu tenho de admitir: estava nervosa com a ideia de me tornar mãe. Como psicoterapeuta, passo meus dias conversando com as pessoas. Isso, eu gosto de acreditar, é o que faço melhor. Durante minha gravidez de gêmeas, a perspectiva de lidar com um ser humano (ou melhor, dois!), que não poderia se comunicar com palavras e não seria capaz de me entender, causou arrepios na espinha. Mas tenho trabalhado duro para me conectar verbalmente com minhas meninas (agora três),e, nesse processo, descobri o que ajuda – e o que não funciona.

Uma das coisas mais interessantes que aprendi sobre os bebês e a linguagem é que o ideal é usarmos 30 mil palavras por dia com nossos filhos. Um estudo americano constatou que o número de palavras faladas a uma criança tem um impacto direto sobre o seu QI futuro. Mas vá com calma. Não precisa ficar contando, claro. Também não precisa ter pressa. As palavras dos bebês só começam a ter um sentido reconhecível pela gente entre 14 e 15 meses de idade. Mas se seu filho não falar nenhuma palavra (tipo "ma-mã" ou "pa-pã") até os 18 meses, converse com o pediatra.

Conheça alguns métodos que você pode usar para estimular seu futuro tagarela.

Procure oportunidades para falar

Sempre que seu filho olhar para você ou para um objeto, ou sempre que fizer gestos ou sons, considere isso um convite para iniciar uma conversa. Portanto, se seu bebê está assistindo você preparar a mamadeira, diga algo como: "Estou vendo que você está me olhando. Você quer saber o que estou fazendo? Eu estou preparando o seu leite. Acho que você deve estar com fome.”

Fale e, em seguida, fale a mesma coisa novamente

Pode ser chato para você, mas a repetição é fascinante para o seu bebê. Ouvir a mesma palavra algumas vezes seguidas reforça os caminhos neurais que conectam o som e o significado no cérebro do seu filho. A repetição também lhe dá a chance de pesquisar na memória o conceito que você está falando. Por volta de 1 ano, o pequeno vai conhecer a maioria dos sons necessários da fala, mas não vai entender quando usá-los. Repetição é a chave para ajudá-lo a dominar essa tarefa.

Deixe o pequeno lhe dizer o que quer

Você pode fazer isso antes mesmo de o bebê começar a falar. Se seu filho terminou de comer uma banana, e você acha que ele vai querer mais, em vez de colocar automaticamente outra porção a mais em seu prato, aguarde ele apontar, grunhir, fazer algum sinal ou pedir mais (dependendo de sua idade e nível de comunicação). Ou simplesmente pergunte: "Você quer mais banana?" Em vez de tentar adivinhar, dê-lhe a possibilidade de pedir o que quer. Muitas crianças falam tarde porque não sentiram necessidade de falar antes – bastava chorar para conseguir o que queriam.

Siga o líder

A mesma pesquisa identificou dois tipos de pais. O "facilitador" permite que seus filhos liderem suas conversas e atividades. Os pais com um estilo direto, por outro lado, escolhem os brinquedos e os assuntos para falar. Acontece que os “facilitadores” ajudam mais no desenvolvimento da linguagem.

Dê um tempo

Esse revezamento mostra o respeito e ensina a criança a dar e receber na conversa. Você pode fazer isso a partir do dia de seu nascimento, muito antes de o seu filho começar a falar: faça uma pausa depois de dizer algo a ele, como se estivesse esperando a sua resposta. Com o tempo, o pequeno vai entender que esta é a chance que ele tem de lhe dar uma resposta verbal.

Fale a língua das mães

Você sabe, aquela voz animada, cantada e alta com que os pais muitas vezes falam com seus filhos. O "mamanhês" pode parecer um jeito bobo de se comunicar, mas estudos descobriram que os bebês demonstram mais interesse nas pessoas quando elas estão falando assim. Na pesquisa, os bebês expostos a esse tom desenvolviam um vocabulário maior e uma melhor compreensão da gramática. Mas cuidado: isso não significa usar palavras erradas! Comece a diminuir o “mamanhês” quando seu filho estiver entre 18 meses e 2 anos e meio de idade, porque ele pode começar a imitar essa forma de falar, exagerando pronúncias.

Faça contato visual

É útil para o bebê ver o seu rosto quando você fala, pois vai ser capaz de assistir à forma como a sua boca mexe para formar palavras. Ajoelhe, sente ou abaixe quando falar com seu filho. Assim, ele também vai desenvolver o hábito de fazer contato visual ao falar, o que facilitará a comunicação entre vocês. Além disso, dará confiança para o pequeno soltar a língua. Depois de tomar a pílula falante, o papo não vai ter fim.

Técnicas para aumentar o vocabulário da criança

Estes métodos foram desenvolvidos por fonoaudiólogos para as crianças que estão tendo problemas de aprendizagem da língua, mas podem beneficiar todas as crianças.

Modelagem

Como fazer: use a palavra que o seu filho está tentando dizer sem corrigi-lo.

Exemplo: criança (apontando a mamadeira): "Mamá!"; você: "Você quer a sua mamadeira?".

Conversa unilateral

Como fazer: descreva tudo! O que você está fazendo, pensando, sentindo, vendo ou ouvindo.

Exemplo: "eu estou colocando suas roupas sujas no cesto. Eu quero que elas estejam limpinhas na próxima vez que você precisar usá-las".

Conversa paralela

Como fazer: descreva o que seu filho está fazendo, por mais óbvio que seja.

Exemplo: "Laura está guardando seus brinquedos na gaveta".

Expansão

Como fazer: transforme a palavra de seu filho em uma frase completa.

Exemplo: Criança: "Mamãe, comer"; você: “Sim, a mamãe está comendo pão com o Guilherme."

Extensão

Como fazer: adicionar a um tópico qualquer frase completa.

Exemplo: criança: "Avião!"; você: "Olha o avião voando lá no céu!"

veja também