Pequena sobrevivente

Pequena sobrevivente

Atualizado: Segunda-feira, 11 Outubro de 2010 as 11:14

Nascida no quinto mês da gravidez, pesando apenas 360 gramas, menor prematura brasileira vai para casa sem sequelas

Ana Júlia já pode ser considerada uma guerreira com pouco mais de cinco meses. Segundo informações do jornal Folha de S. Paulo nesta quinta-feira (07/10/2010), depois de nascer no quinto mês de gestação com apenas 360 gramas – devido a problemas de hipertensão da mãe –, o menor bebê prematuro já nascido no País deixa o hospital sem sequelas.

Cinco meses depois do nascimento, a menina pesa 2,3 quilos e já mama no peito. "Como acompanhei todo o processo de perto, agora me sinto pronta para levá-la pra casa", disse ao jornal Leila Horácio, mãe do bebê.

O caso representa um grande feito para a clínica Perinatal, na Barra da Tijuca, onde a menina nasceu. Afinal, de acordo com especialistas, apenas bebês com 500g ou mais têm chances de sobrevivência. Ana Júlia é mesmo uma pequena grande guerreira.

Nascida no quinto mês da gravidez, pesando apenas 360 gramas, menor prematura brasileira vai para casa sem sequelas

Ana Júlia já pode ser considerada uma guerreira com pouco mais de cinco meses. Segundo informações do jornal Folha de S. Paulo nesta quinta-feira (07/10/2010), depois de nascer no quinto mês de gestação com apenas 360 gramas – devido a problemas de hipertensão da mãe –, o menor bebê prematuro já nascido no País deixa o hospital sem sequelas.

Cinco meses depois do nascimento, a menina pesa 2,3 quilos e já mama no peito. "Como acompanhei todo o processo de perto, agora me sinto pronta para levá-la pra casa", disse ao jornal Leila Horácio, mãe do bebê.

O caso representa um grande feito para a clínica Perinatal, na Barra da Tijuca, onde a menina nasceu. Afinal, de acordo com especialistas, apenas bebês com 500g ou mais têm chances de sobrevivência. Ana Júlia é mesmo uma pequena grande guerreira.

veja também