Perdoar é um exercício de autoestima

Perdoar é um exercício de autoestima

Atualizado: Quarta-feira, 29 Junho de 2011 as 9:03

Não adianta esperar o reconhecimento do erro que o outro cometeu

Falta de autoestima e espera de reconhecimento. Duas coisas que juntas podem impedir que uma pessoa perdoe outra. Para haver o perdão é preciso pensar que se é superior àquele que trouxe algum dano, ou seja, é necessário ter boa autoestima, e também não esperar o reconhecimento do erro que o próximo cometeu.

“Se a autoestima é boa, a pessoa leva tudo numa boa. O problema é que o ser humano sempre espera o reconhecimento do outro para que haja o perdão, e nem sempre é assim. A falta de perdão é para que, inconscientemente, haja algum vínculo com a pessoa”, explica a psicóloga clínica Débora Cristina de Macedo Jorge.

O perdão é de extrema importância também para quem sofre, porque é este sentimento que leva a autoavaliação e a se perdoar também. A psicóloga destaca que “a falta de perdão faz com que a pessoa fique com aquela mágoa e não se permita viver outras experiências”.

Foi assim que Fatima Silva conseguiu perdoar seu ex-marido por uma traição de mais de 20 anos. “Fui buscar ajuda profissional para entender a diferença entre perdão e desculpas. Entendi que o perdão é algo consciente, e que há erros dos dois lados. Mas só cheguei a esta conclusão depois de 1 ano. A falta do perdão barrava a continuidade da vida dele e da minha. No dia em que pedimos perdão um ao outro, desatamos o elo que tínhamos do casamento e conseguimos seguir com nossas vidas”, conta ela.

Quando não há perdão, as consequências podem ser emocionais e físicas. “A pessoa torna-se amargurada e transfere este sentimento para todas as áreas da vida; é o que chamamos de ‘pessoa mal amada’. Fisicamente, é comprovado que a mágoa pode resultar em um câncer”, explica Débora.

Para Fatima, o ato de perdoar sinceramente mudou a sua relação com o ex-marido e trouxe novas perspectivas. “Tudo mudou e melhorou muito. Hoje somos amigos, além dele ser o pai dos meus filhos, a gente se considera muito. Antes, não havia isso”.

A consciência do perdão e a sinceridade em se autoanalisar são ferramentas essenciais para não cultivar a mágoa no coração, e tornam uma pessoa capaz de perdoar novamente.    

veja também