Pisou na bola e está se remoendo? A hora é agora de pedir desculpas

Pisou na bola e está se remoendo? A hora é agora de pedir desculpas

Atualizado: Terça-feira, 31 Maio de 2011 as 8:06

Pensando bem, a verdade é que você errou. Mandou mal. Fez alguma coisa errada. E agora, no escuro do quarto, você está se remoendo por dentro. Para aliviar o coração e seguir adiante, nada melhor do que pedir desculpas. Não sabe como? Você vai me desculpar, mas há várias formas de fazer isso.

Segundo a psicóloga Priscila Gaspar, é o orgulho que adia o pedido de desculpas. "Muitas pessoas têm dificuldades em pedir desculpas porque se sentem diminuídas com o ato. Ao pedir desculpas estamos admitindo que não somos perfeitos e isso fere nosso orgulho", explica. Da mesma forma que pedir, perdoar não é tarefa fácil. "Para algumas pessoas, aceitar desculpas significa ceder e, para se mostrarem firmes e duronas, não cedem! Não percebem que isso apenas aumenta as desavenças e torna a convivência mais difícil", alerta a psicóloga.

Para quem tem vergonha ou não sabe que palavras usar, existe cartões de desculpas. "É importante lembrar que nada melhor que um diálogo, talvez selado com um abraço e, por que não, algumas lágrimas", assegura a psicóloga, salientando que, além do pedido de desculpas, temos que tratar de mudar as atitudes. "Reparar o erro é fundamental. Não adianta pedir desculpas e nada fazer para consertar ou amenizar as consequências da falta cometida. Por outro lado, se uma pessoa apenas repara o erro e nada fala, é porque o orgulho ainda está presente e ela não consegue se sentir à vontade", afirma.

Desculpa tem hora?

Não há o momento certo para pedir desculpas. Há quem prefira esperar a poeira assentar e esperar o outro se acalmar para então chamá-lo para uma conversa. Priscila afirma que essa não é uma regra absoluta. "Depende da situação. Às vezes, mesmo com os ânimos alterados, vale a pena pedir desculpas, pois isso pode fazer com que o clima se amenize e a calma seja restabelecida", ensina.

Para terminar, a psicóloga sublinha a importância de sabermos que somos falíveis. "Se aceitássemos nossas imperfeições, seria mais fácil conviver com nossas faltas e limitações. Além disso, aceitar que o outro é diferente, não pensa igual a nós e, por isso, não age como esperamos, é fundamental para aceitar as desculpas de coração aberto!", conclui.

veja também