Por que carro não é investimento?

Por que carro não é investimento?

Atualizado: Domingo, 27 Dezembro de 2009 as 12

Muitas pessoas erroneamente comparam a compra de um carro com a de um imóvel, como se ambos pudessem ser considerados uma forma de investimento. Contudo, ao contrário do imóvel, cujo preço pode valorizar dependendo de onde estiver situado ou das melhorias que você fizer, no caso do automóvel a desvalorização começa na hora em que você tira o carro da concessionária.

Além disso, na compra de um imóvel existe sempre a opção de alugar, o que possibilita uma renda mensal que pode variar entre 0,6% e 1,5% do valor do imóvel dependendo do seu estado e localização. Desta forma, pode-se comparar a renda com aluguel ao pagamento de juros e/ou dividendos no caso das aplicações financeiras. Com base nisso, os gastos com a compra de um carro não podem ser vistos como um investimento, mas sim como despesas de consumo.

Isto não significa que você não deva se preocupar com a manutenção do seu carro, pois ela é importante não só do ponto de vista da sua segurança pessoal, como também pode garantir um maior preço de venda. Algumas dicas úteis na manutenção do seu carro:

Não economize, nada de adiar a troca de óleo ou trocar o pneu velho por um recauchutado; Passe no posto todas as semanas e calibre os pneus. Não se esqueça do pneu reserva, a qualidade do pavimento das cidades grandes é tão ruim que você deve ficar atento à sua manutenção; Faça rodízio das rodas a cada 10 mil km e não se esqueça de fazer alinhamento e balanceamento das rodas periodicamente; Crie o hábito de checar o reservatório de água que vai para o radiador e o óleo, em cada visita ao posto; Na dúvida, opte pela troca dos filtros de ar e não pela limpeza, filtros bem mantidos ajudam a aumentar a vida útil do motor; Revise as pastilhas do freio a cada quatro meses e os amortecedores a cada 40 mil kms ou sempre que seu carro começar a pular demais; Para prolongar a pintura os especialistas recomendam que o carro seja lavado apenas a cada 15 dias; Em caso de arranhões ou pequenas batidas o melhor é mandar o carro imediatamente para um "martelinho de ouro", não deixe aquele amassadinho virar ferrugem, porque estas depreciam o valor do veículo e custam mais para serem reparadas; Visite um mecânico de confiança a cada seis meses, quando o carro chegar aos 50 mil kms está na hora de pensar em trocar, a partir desta quilometragem os custos de manutenção tendem a aumentar.

veja também