Prazer do casal está ligado à saúde e ao nível de compreenssão da parceira

Prazer do casal está ligado à saúde e ao nível de compreenssão da parceira

Atualizado: Sexta-feira, 15 Maio de 2009 as 12

A sexualidade faz parte do contexto de uma vida saudável, inclusive pela definição de "qualidade de vida" da Organização Mundial da Saúde (OMS). No entanto, a disfunção erétil (DE) e a pouca compreensão masculina em relação às necessidades da mulher quando o assunto é sexo são fatores que podem impedir o casal de desfrutar desse aspecto tão importante da vida. "Podemos afirmar que todos os homens, geralmente, nascem ''funcionais'', ou seja, capazes de ter uma função sexual normal (desejo, excitação e orgasmo), mas traumas, tabus, doenças, cirurgias e até alguns medicamentos podem prejudicar o desempenho do indivíduo nesta área", afirma Gerson Lopes, médico chefe do Departamento de Medicina Sexual do Hospital Mater Dei, de Belo Horizonte (MG).

De acordo com o especialista, existem diferentes causas que levam o homem a se tornar "disfuncional". "A DE, por exemplo, pode ter origem psicogênica (causas psicológicas), orgânica ou mista (mistura de causas psicológicas e orgânicas)", explica Lopes. Quando o problema de ereção acomete homens a partir dos 50, o médico deve suspeitar de causas orgânicas. "Se o paciente tem idade mais avançada, relata ausência de ereções matinais, noturnas e na masturbação e essa dificuldade é generalizada, ou seja, acontece com todas as parceiras, é preciso fazer uma avaliação completa do estado de saúde dele", reforça.

Existem diversos fatores de risco para que o homem maduro desenvolva DE: sedentarismo, obesidade, diabetes, hipertensão arterial, colesterol elevado, usos de medicamentos anti-hipertensivos ou antidepressivos, estresse, depressão, tabagismo e excesso de bebida alcoólica. "Mas, o medo de falhar desencadeado pela insegurança e ansiedade ainda é a principal causa de disfunção erétil", diz Gerson Lopes. "Podem existir causas psicológicas mais profundas ligadas ao desenvolvimento psicossexual do homem (traumas, abusos, hostilidade inconsciente às mulheres etc.)", completa o especialista.

DE e o relacionamento do casal - É natural que a presença de disfunção sexual no homem, qualquer que seja ela, afete mais do que a vida íntima do casal (podendo facilitar o aparecimento de disfunções sexuais também na mulher). É comum que esse tipo de problema prejudique o emocional de ambos e suas relações como um todo (familiar e profissional). Além do estresse e do impacto na auto-estima de cada um, pode promover danos na própria estrutura do relacionamento.

"No caso da DE é muito comum a parceira achar que não é mais atraente ou que seu companheiro não goste mais dela e até mesmo que tenha outra, alimentando sentimentos de rejeição que podem comprometer ainda mais a relação", explica Gerson Lopes.

Para o médico, é fundamental que se saiba que a DE pode ser um indicativo de outras doenças orgânicas, algumas podendo representar até mesmo risco de vida ao homem. "Ao investigar as causas da dificuldade de ereção, é frequente a descoberta de doenças como hipertensão, diabetes, aumento da próstata, doenças cardiológicas, câncer de próstata e depressão", revela Lopes. "Portanto, quando o homem vai ao urologista, ele não só pode encontrar melhora de sua qualidade de vida (e do casal), mas pode estar se tratando de outras doenças e prevenindo o surgimento de outras, já que a DE é um marcador importante de doenças cardiovasculares", reforça o especialista.

veja também