Proteja seus filhos nas viagens

Proteja seus filhos nas viagens

Atualizado: Terça-feira, 18 Novembro de 2008 as 12

No fim do ano é quase impossível resistir a uma viagem, mesmo que seja só para reunir a família no natal e reveillon ou aproveitar as férias de dezembro. Por isso, é muito importante lembrar que nessa época o número de acidentes também cresce.Logo, é bom tomar alguns cuidados, ou até mesmo mudar hábitos, para garantir a segurança da família. Confira algumas situações que colocam seus filhos expostos ao perigo e evite-as:

Criança solta no banco de trás – Caso um veículo bata na traseira do carro, a criança será projetada para frente. Em colisões a 40 km /h, uma garotinha de 33 kg passará a pesar uma tonelada e, além de se ferir, ela pode agravar a situação de quem viaja na frente.

Aprendendo a dirigir – Não é tão comum com as meninas, mas os pais adoram colocar os filho para pilotar o automóvel da família. Mal sabem que se houver um acidente, poderão esmagar a criança contra o volante com a força de seu corpo.

Mãe no banco de trás com o cinto somente sobre ela – Não é tão ruim quanto a situação seguinte. Contudo, embora a mãe se proteja, deixa a criança sujeita ao risco de escapar de seus braços se houver uma batida. De novo porque o peso se multiplica.

Mãe no banco de trás com cinto sobre ela e a criança – Nas colisões, os cintos são tencionados para segurar o corpo do passageiro. Desse jeito, com a força do corpo do adulto de um lado e do cinto do outro, o tórax da criança poderá ser esmagado.

Mãe no banco da frente com um cinto para dois – No automóvel deve haver um ocupante por lugar e um cinto por pessoa. No banco da frente, além do risco de esmagamento, há a possibilidade de o painel vir na direção da criança.

Criança solta próxima das portas ou laterais – É lindo dar tchauzinho para a criança do carro vizinho, mas se houver um choque lateral, ela poderá até ficar presa entre a porta e o banco. Também pode colocar a mão para fora e ser ferida por motos.

Criança em pé – A possibilidade de o pequeno passageiro atravessar o pára-brisa é ainda maior. Como a cabeça é muito pesada, será a primeira a se projetar. Metade das crianças lançadas para fora do carro nos acidentes não sobrevive.

Criança com menos de 1,40m no banco da frente – como ainda é baixinha, ela não consegue dobrar as pernas, que ficam retas sobre o banco. Em colisões frontais, o painel virá direto em direção à planta dos pés, encolhendo as pernas.

veja também