Pureza: vale a pena o sacrifício?

Pureza: vale a pena o sacrifício?

Atualizado: Terça-feira, 10 Junho de 2008 as 12

Pureza: vale a pena o sacrifício?

 Nascida em berço evangélico, Renata Albuquerque (nome fictício), 16 anos, ao atingir a adolescência começou a se interessar por um rapaz de sua igreja. A menina, virgem e pura de coração, viu-se apaixonada. Os dois começaram a namorar e, certo dia, sozinhos na casa do rapaz, os beijinhos e as carícias foram se intensificando até que perceberem que haviam ido longe demais. Após aquela noite, o relacionamento dos dois perdera o encanto. A menina Renata passou a ser uma estranha para o rapaz. Aquela noite ficou marcada na vida da adolescente.

A história, que para muitos parece antiquada, não aconteceu apenas com essa jovem. Milhares de jovens cristãs, por se sentirem inseguras ou até por darem ouvidos às sugestões da juventude moderna, acabam entregando o presente da pureza física antes do tempo estabelecido por Deus.

De acordo com as conselheiras Debby Jones e Jackie Kendall, no livro "À Espera do Amado", as estatísticas revelam que 80% das mulheres solteiras perderam a virgindade antes dos 20 anos. Elas explicam que Rute, como nós, também vivia em tempos de decadência moral, mas, mesmo assim, não deixou de ser uma mulher pura. "Sua história se deu em um período do ano em que a comunidade rural de Israel viveu o apogeu da promiscuidade sexual e parecia alimentar-se das práticas pagãs de fertilidade de algumas religiões", diz.

Por que esperar?

O inimigo quer que acreditemos que, se nos guardarmos sexualmente, estaremos perdendo um dos melhores prazeres da vida. "A sociedade de hoje vive lemas de prazer sem conseqüência", dizem as conselheiras, acrescentando que "Deus dá o presente do gozo sexual completo àquele que espera pelo casamento. A ordem dEle é que experimentemos esse prazer apenas com nosso marido. Quanto mais puras nos mantivermos antes do casamento, mais intensa será a alegria e a satisfação resultante desse ato íntimo com o nosso cônjuge", ressalta.

As escritoras concluem que o sexo é algo precioso. "Não se deixe enganar. Não o sexo barato do mundo, mas aquele em conformidade com os planos de Deus, para o qual há tempo certo", finaliza.

veja também