Quem é de quem?

Quem é de quem?

Atualizado: Quarta-feira, 3 Julho de 2013 as 12

casalEu sou do meu amado, o meu amado é meu. Eu sou da minha amada, a minha amada é minha.
Cantares de Salomão
 
Namoros podem durar pra sempre. Casamentos existem para proteger o amor. Nem sempre é assim, justamente porque as intenções românticas do início dão lugar aos nossos reais interesses.
 
Um dia alguém nos desperta o desejo de fazer tudo e qualquer coisa para estar perto. É quando sentimos que somos do outro.
 
Aos poucos, porém, decidimos que o outro nos pertence e deve viver em função de satisfazer tudo o que demandamos. É quando assumimos que o outro é nosso.
 
A conjugabilidade é o equilíbrio entre essas duas realidades. A questão não é apenas pertencer a alguém para servir em amor, mas pertencer a alguém que me pertence também, me servindo e amando.
 
No amor conjugal não é possível amar sozinho, quando isso acontece é ministério, caridade, boa ação. Já a conjugabilidade é estabelecida na alma de dois que pertencem um ao outro, que abrem mão da posse, mas nutrem a expectativa justa de ser correspondido.
 
 
- Alexandre Robles

veja também