Órgãos Genitais

Órgãos Genitais

Atualizado: Quinta-feira, 31 Janeiro de 2008 as 12

Órgãos Genitais

Vamos falar sobre homem e mulher.  

Não é sobre feminino e masculino, que são conceitos culturais.

Ser homem ou mulher é diferente.  É mais que isso.

Sabemos que os órgãos genitais, são:

Vagina, que identifica uma mulher e pênis, que identifica um homem.

Sobre eles tenho encontrado idéias intrigantes.  

Vou citar um exemplo: pelo menos uma "deficiência", todos temos em algum aspecto.  

Os que não têm uma "deficiência" aparente, física e/ou mental, provavelmente são "deficientes" comportamentais, no mínimo.

Esse conceito, muitas vezes, aponta para o simplesmente diferente do grupo, a chamada "normalidade", "norma", que é o resultado mais comum encontrado nas estatísticas. Ou onde a maioria das pessoas se encontra.  Só um número determinando, o que as pessoas devem saber, fazer ou ter para serem consideradas "normais".  Só um número.  Estranho, não?  

Mas vamos ver o que comumente chamamos de "deficiência".

Eu sei que a aceitação está em processo, preconceito ainda existe. Mas hoje, ao menos reconhecemos algumas "deficiências" com as quais as pessoas nascem, ou sofrem em acidentes e essas pessoas não precisam ter sua Identidade questionada.  Pais dedicados e profissionais competentes buscam uma forma de compensar, para que o potencial de pessoas com "deficiência" se desenvolva plenamente e Graças a Deus, cada dia a Ciência encontra mais possibilidades disso se tornar possível. Mas preciso lembrar que esse desenvolvimento afeta mais o que elas poderão aprender, fazer e obter, do que quem São. Pois o Ser independe do que entendemos como "completo",  que mesmo não sendo aos nossos olhos, pode ser completo em si mesmo e em Deus.

Se reconhecemos outras "deficiências", por que lidamos com "deficiências" nos órgãos genitais como se fossem enigmáticas, a ponto de questionarmos a Identidade da pessoa?

Onde está a brecha que precisa ser restaurada, a fim de que pais e profissionais sejam mais investigadores e facilitadores para ajudar alguém com uma "deficiência" genital, descobrir sua Identidade Sexual?

Ao contrário de, frente a esse desafio, se sentirem deuses para determinar e educar essa pessoa com o que decidirem?  Quando alguém nasce, ou durante a vida sofre algum acidente, que o comprometa física e/ou emocionalmente com uma "deficiência" genital, a ponto de haver uma ambigüidade aparente, uma indefinição de órgão, ainda há um vasto campo a ser pesquisado, sobre todo o complexo Aparelho Reprodutor e o sofisticado Sistema Hormonal, dessa pessoa, além de exames mais atuais.

Quanto mais cedo isso acontecer, mais chance de sucesso de Identidade.

Ninguém pode escolher seu próprio sexo, porque ele não está desconectado do Ser como um todo concebido desde antes do nascimento.

Em Palestras, Seminários e Cursos que ministro sobre Educação Sexual, há 11 anos, tenho encontrado adolescentes, jovens e adultos, confusos a respeito de um assusto que o Criador é tão objetivo para ensinar.  

Quando nos sentimos confusos em relação a algo, precisamos decidir: Vamos para a informação atual disponível, fazer da mídia nosso oráculo, ou voltamos para o Criador, o que Ele fez e o que Ele diz.

Vou encerrar deixando uma sugestão para meninos e meninas, rapazes e moças:

Não importa o que disseram para você até aqui.  Se você tem Pênis, você é um menino.  Se você tem Vagina, você é uma menina.  Parabéns aos dois.  Vocês já utilizam seus órgãos hoje, para algumas funções naturais ao seu organismo e um dia vão precisar deles para exercer outras funções muito legais, que o próprio Deus já tinha em mente, quando os criou.  Aguardem.

Se você está confuso/confusa, devido a aparência, funcionamento ou ainda, às suas emoções em relação ao seu órgão genital, fale com seus pais ou conselheiros. Eles indicarão um médico/médica, que poderá lhe dar um acompanhamento melhor.

E não se esqueça: todos nós, somos diferentes, somos únicos e insubstituíveis e Deus tem grande prazer nessa diversidade.

Tonina Miraglia é formada em psicologia, com especializações em Psicoterapia e Desenvolvimento Humano; ministra Seminários sobre Relacionamento.  É autora de um projeto que se chama WAIT e fala especificamente sobre Sexualidade.  Atua com aconselhamento e ministra cursos em comunidades, escolas e organizações.

Contato: www.toninafreitas.blogspot.com

                 [email protected]

veja também