Saiba mais sobre os "distúrbios de aprendizado"

Saiba mais sobre os "distúrbios de aprendizado"

Atualizado: Quinta-feira, 19 Junho de 2008 as 12

"O que posso dizer aos pais e professores que convivem com distúrbios diversos é que saibam que não estão sozinhos, existem muitos pais e professores que enfrentam esses problemas e que existe solução e cura para muitos dos distúrbios "vendidos" como incuráveis," alerta a Multiterapeuta Lou de Olivier. Segundo a especialista em tratar distúrbios e disfunções ligados às questões de aprendizagem ou comportamentais a atual sociedade criou a "indústria do distúrbio" para tratar o indivíduo "como um deficiente inclusive brigando pelo direito de adaptar o sistema de ensino a ele," denuncia.

Para ela o mal incurável acabou dando status, inclusive em relação a dislexia, divulgou-se que grandes nomes como Einstein, Darwin; Picasso, Leonardo da Vinci, Agatha Christie, Churchill, Tom Cruise, Cher, entre outras personalidades eram/são disléxicas. Aponta que também a hiperatividade é diagnosticada como doença quando na verdade é um sintoma. "São muitos os distúrbios que têm a hiperatividade como sintoma e muitos a medicam como sintoma sem cogitar o distúrbio que acaba sendo preservado e não tratado," pondera.

Afirma que a dislexia é curável em muitos casos, no entanto, passou a arrastar-se pela vida toda do paciente, assim, como outros tantos distúrbios que podem ser curados ou, ao menos controlados, passaram a ser tratados como incuráveis e até limitantes... "Diante disso posso afirmar que não sou polêmica nem me posiciono "do contra", apenas revelo a verdade. Quem faz tudo para me desmentir, seja quem for, não é só alienado, é criminoso pois está tratando como incurável muitos distúrbios que, às vezes, curam-se até sozinhos," argumenta.

Olivier é autora de diversos livros que explicam essas questões seu método de trabalho em indivíduos que ela faz questão de não considerar como "pacientes", pois são tratados em sua individualidade na busca da terapia mais adequada ao seu problema em questão. É pioneira em diversas áreas da saúde e da medicina complementar aliando técnicas da Medicina comportamental, Psicanálise, Psicopedagogia, Neuropsicologia, Musicoterapia, Arteterapia, dentre outras desenvolvendo, assim, a Multiterapia que está em processo de constituição de uma associação.

Duas técnicas básicas para tratamento dos distúrbios de aprendizagem são a psicopedagogia e neuropsicologia. A primeira dá "dá ênfase aos fatores psicológico e pedagógico, buscando a realfabetização e adaptação do paciente aos padrões considerados normais, enquanto que a neuropsicologia dá ênfase ao domínio das relações e inter-relações das funções cerebrais e do comportamento, analisando e tratando os fatores que provocam falhas no processamento de informações e que comprometem a integridade dos neurônios e suas conexões," exemplifica para dizer que unindo essas duas áreas trabalha-se o os distúrbios de aprendizagem no que se refere ao desenvolvimento e recuperação do aprendizado e da memória. E vai além, "se a este tratamento, se unir a Arteterapia e a Musicoterapia, completa-se o desenvolvimento criativo". Isso porque a "Musicoterapia é a única forma de se atingir o cérebro autista, por percorrer um outro caminho para o processamento no cérebro," explica.

veja também