Sete dicas para deixar bebê na temperatura ideal

Sete dicas para deixar bebê na temperatura ideal

Atualizado: Terça-feira, 15 Junho de 2010 as 8:28

Com a chegada do inverno em grande parte do Brasil, é preciso ter cuidados extras para que recém-nascidos e bebês fiquem bem aquecidos e com a temperatura do corpo ideal. A Pais & Filhos fez uma lista com os sete cuidados básicos nesta época do ano --em momentos que podem ser cruciais para a saúde do seu filho.

Antes de sair

O bebê é especialmente sensível às mudanças de temperatura; então, assegure-se de que ele está agasalhado – mas não demais.

O PROBLEMA: Lábios rachados

Bebês babam. E quando o nariz escorre, lambem. Pois é. Toda essa umidade pode acabar com a proteção da pele, deixando os lábios vulneráveis ao frio e ao vento, diz a dermatologista Sandra Marchese Johnson.

A SOLUÇÃO: Passe protetor labial para evitar rachaduras e hidratar lábios já rachados.

O PROBLEMA: Brotoejas

Não é só durante o verão que seu bebê pode ficar empipocado. Se você exagerar na dose de agasalho pode provocar um aquecimento global. O resultado são as famosas brotoejas, que aparecem quando as minúsculas glândulas de suor ficam entupidas.

A SOLUÇÃO: Vista seu bebê com várias camadas (body, meia, depois calça com pezinho, macacão e casaco...) e vá retirando uma por uma conforme esquenta. Normalmente, a erupção desaparece em alguns dias, mas você pode falar com o pediatra e pedir a indicação de uma pomada.

O PROBLEMA: Superaquecimento

Crianças com menos de 6 meses ainda não são capazes de tremer para manter o calor do corpo e precisam de um pouco mais de proteção que você, mas só um pouco. É bom usar um chapéu ou gorro, porque elas perdem 25% do calor do corpo pela cabeça. Dentro do carro ou do ônibus, a temperatura costuma ser mais alta; por isso, pegue leve. Depois que o termostato do bebê fica mais regulado, basta você tocar nos braços, na nuca ou nas coxas. Se essas áreas estiverem frias, seu filho pode precisar de mais de roupa.

A SOLUÇÃO: Quando sair no frio, ponha luvas e um gorro tipo Ivanhoé (que lembra um elmo). Dentro do carro ou do ônibus, tire o gorro e uma ou mais camadas de roupa e cuide para que o carro fique fresco.

Na hora do banho

Feche a porta do banheiro para deixar o vento de fora e aproveite esse momento para paparicar seu bebê e manter a pele dele macia.

O PROBLEMA: Pele ressecada

No inverno, a pele do bebê pode ficar avermelhada e mais grossa, meio escamosa, especialmente na área do rosto, mais exposta às intempéries. Isso acontece porque, nesta época do ano, o ar é mais frio e, portanto, mais seco, provocando desidratação e esses efeitos colaterais chatos.

A SOLUÇÃO: Você pode dar banho em seu filho todos os dias, claro, mas não exagere na temperatura da água, que deve se manter em torno dos 36 graus. "Também evite sabão ou xampu que contenha fragrâncias ou álcool", diz o dr. Robert Greenberg. É bom também passar um creme hidratante sem perfume cerca de dois minutos após o banho. Troque a fralda e, depois, aproveite para massagear o bebê, o que sempre é uma delícia – para ele e para você.

O PROBLEMA: Eczema

Se você ou seu marido costumam ficar com a pele seca e irritada, é possível que seu filho sofra com isso também. A pele dos bebês com eczema (uma doença crônica da pele conhecida também como dermatite atópica e que provoca vermelhidão, ressecamento, descamação e coceira) não tem proteção suficiente para manter a umidade e evitar irritações. No inverno, com a pele ressecada, bingo!, o eczema se manifesta.

A SOLUÇÃO: Molhar a pele do bebê duas vezes ao dia vai ajudar a mantê-lo hidratado. Ao dar banho, use produtos especiais indicados pelo pediatra apenas nas axilas, no bumbum, nos genitais e pés e lave o resto do corpo apenas com água. Uns dois minutos depois de tirar o bebê da banheira, passe um creme hidratante. Em outro momento do dia, passe água morna (da pia, mesmo) para umedecer a pele, e, depois, aplique o hidratante. Se não melhorar, converse com o pediatra, que pode receitar um creme antiinflamatório.

Ao trocar a fralda

Ainda que seu bebê esteja vestido com várias camadas de roupa, abra uma brecha para verificar a fralda.

O PROBLEMA: Assaduras

O bumbum do bebê pode ficar assado pela primeira vez quando ele começar a comer alimentos sólidos, pois as fezes mudam. Também contribuem para deixar o bebê assado deixar a fralda molhada ou suja por muito tempo, fralda justa, excesso de agasalho e suor.

A SOLUÇÃO: Troque a fralda assim que puder e, se o tempo ajudar, deixe seu bebê ficar sem ela de vez em quando. Claro que, no inverno, não é fácil. Uma solução pode ser apelar para fraldas de pano uma vez ou outra. Não use fralda apertada demais. Se seu filho tende a ter assaduras, experimente um tamanho maior (tipo G se ele usa M). Evite usar talco (até mesmo maisena), que pode ser perigoso ao ser inalado. Use pomada contra assaduras, que forma uma barreira protetora contra agressões externas.

O PROBLEMA: Sapinho

Observe se existe alguma erupção vermelha com pequenas bolinhas brancas. Seu bebê pode estar contaminado com o mesmo fungo que provoca candidíase. Sim, aquele mesmo da desagradável infecção vaginal e que também ataca a área da boca, também popularmente conhecido como sapinho. Esse fungo cresce em local úmido e quente, igualzinho à área que fica encoberta pela fralda, mas também pode prosperar nas dobras da pele em outras regiões do corpo. "Uma infecção com fungos também pode ocorrer depois que o bebê ou mesmo sua mãe que o amamenta tomou algum tipo de antibiótico", diz o dr. Greenberg.

A SOLUÇÃO: Se a irritação não melhorar com o tratamento normal de assaduras, procure seu pediatra ou um dermatologista, que pode prescrever um creme antifungo adequado para o caso do seu bebê. Não é nada grave ou preocupante, mas é importante tratar direitinho.

Por: Wendy Toth, tradução Juliana Delleva Cadiz

veja também