Seu filho é gago? Saiba o que fazer

Seu filho é gago? Saiba o que fazer

Atualizado: Segunda-feira, 22 Fevereiro de 2010 as 12

Dos casos mais leves aos mais acentuados de gagueira, o tratamento com fonoaudiólogo é fundamental. Quanto mais cedo o distúrbio for detectado, maiores são as chances de melhora. A atenção à fala das crianças deve ser redobrada

Repetições, prolongamentos, pausas, bloqueios e outros problemas ao falar. A gagueira é um distúrbio da fluência e se manifesta de variadas formas e em diferentes fases da vida. Em muitos casos, a gagueira pode ser detectada ainda na infância. Por isso, é preciso estar atento à comunicação com as crianças. Quanto mais cedo a gagueira for detectada e o tratamento iniciado, melhores poderão ser os benefícios da terapia.

A gagueira é considerada um distúrbio neurológico e que pode ser desencadeada por vários fatores, entre eles psicológicos, ambientais e sociais. O tratamento está baseado principalmente em terapias com fonoaudiólogos, que podem ser semanais, quinzenais ou mensais & dependendo do grau da gagueira.

Segundo especialistas, a gagueira pode ser detectada a partir dos dois anos de idade. Entretanto, é neste período também que ocorre a fase de aquisição da linguagem. Ou seja, é comum que a criança apresente certa dificuldade em pronunciar algumas palavras ou sons mais difíceis. Neste caso, a gagueira tende a diminuir com o passar do tempo. Já nos casos clássicos da gagueira, a tendência é que a dificuldade na fala aumente. Por isso, a qualquer suspeita do distúrbio na fala, recomenda-se a avaliação e o tratamento fonoaudiológico. Somente com a ajuda de um profissional especializado poderão ser desenvolvidas estratégias para a redução da gagueira.

São vários tipos de tratamento. A tradicional trabalha os movimentos articulatórios e de respiração. As terapias mais modernas se preocupam também com a especificidade vocal e as situações cotidianas, como falar ao telefone ou pedir uma pizza. Já a humanística leva em consideração a auto-percepção da gagueira.

O coordenador de Fonoaudiologia do Núcleo de Assistência Médica Integrada (Nami), Tiago Aguiar, comenta que o número de pacientes adultos que procuram atendimento é superior ao de crianças. ``Quando se busca tratamento já na fase adulta, o paciente vem carregado de muita tensão, situações de conflito e perdas``, analisa. Ele ressalta que não existe idade limite para começar o tratamento fonoaudiológico. ``O importante é que seja o quanto antes. Quando o paciente começa o tratamento, ele percebe melhoras significativas e acaba conquistando maior qualidade de vida. Dessa forma, são poucas as desistências``, pontua.

Em alguns casos, o tratamento pode ser acompanhado de auxilio medicamentoso. Bloqueadores dos receptores beta-adrenérgicos, como o propanolol, e inibidores de recaptura de serotonina, como a sertralina, são indicados. ``Com o aumento do nível de serotonina, o individuo que gagueja diminui o grau de ansiedade e eleva a auto-estima``, afirma o neurologista André Luiz Santos Pessoa. (Viviane Gonçalves)

veja também