Só 15% dos casais diz que a vida sexual piorou depois dos filhos

Só 15% dos casais diz que a vida sexual piorou depois dos filhos

Atualizado: Quinta-feira, 10 Junho de 2010 as 9:30

Ao contrário do que muita gente pensa, não é para todos os casais que a chegada das crianças atrapalha a vida sexual. Para muitos, aliás, pode até melhorar. Isso é o que mostra uma pesquisa DATAFOLHA feita com mais de 1800 pessoas entre 18 e 60 anos, em 125 cidades do país. Dos entrevistados, apenas 15% afirma que a vida sexual piorou depois das crianças.

Para Cristina Romualdo, uma das coordenadoras do Instituto Kaplan - Centro de Estudos da Sexualidade Humana, uma das razões para explicar o resultado é que a satisfação em ter um filho pode ser, sim, um afrodisíaco para o casal. "O prazer com o nascimento do bebê é como uma confirmação de que o relacionamento do casal vai bem, é uma felicidade para os dois", diz. Tanto que, para 26% dos entrevistados, o sexo até melhorou.

E outro aspecto que talvez você nunca tenha visto como um ponto positivo também é salientado pela especialista: a volta ao mercado de trabalho. "A mulher se valoriza não só como ‘mãe’, mas também dá mais atenção à relação com o parceiro", diz Cristina. E, quando o homem compartilha os cuidados com as crianças, também ganha vantagens. "O fato de ele estar cada vez mais participativo na criação dos filhos acaba tornando-o mais íntimo de sua mulher e a relação melhora", afirma a especialista.

A cumplicidade foi justamente o que melhorou na vida do casal *Ana Maria, 39 anos, consultora de imagem, e João Henrique, 33, advogado, com o nascimento da pequena Sara, hoje com 6 meses. "Dois meses depois do parto a nossa vida sexual voltou ao que era antes. E se teve algo que melhorou, foi o fato de ficarmos ainda mais próximos", diz Ana Maria. Para ela, o segredo é apostar em uma conversa franca e na parceria que já existia antes do bebê nascer. "Os dois precisam entender que essa é uma fase e também se adaptar à nova rotina. Nós sempre saíamos para namorar, dar uma volta, e hoje em dia ainda não conseguimos ir com a nossa filha a outro lugar que não seja o shopping. Agora, ficamos mais em casa, fazemos sessões de DVD e, por enquanto, como a Sara ainda é bebê, não tem o risco de ir até o quarto, de nos chamar à noite...", diz Ana Maria.

Um momento a dois

E por que ainda tem quem reclame das mudanças na vida sexual após os filhos? O motivo principal para aqueles 15% que ainda se queixam é a falta de tempo. Para 53% dos entrevistados, o problema maior é fato de os filhos exigirem muita atenção; já 33% apontaram como causa o cansaço gerado pelo dia a dia com as crianças e outros 33% acreditam que depois de ter filhos, outras preocupações atrapalham a rotina.

Segundo Ana Menzel, psicóloga do Hospital Israelita Albert Einstein (SP), a chegada de uma criança no casamento traz mudanças, e não só no relacionamento do casal, mas na vida de uma forma em geral. Por isso, atualmente, muitas mulheres adiam a gravidez por conta da profissão. "O filho deve ser um projeto do casal. Para isso, é preciso que o homem e a mulher conversem abertamente sobre a reorganização que vão ter de fazer em suas vidas com o nascimento da criança", diz. E a maturidade para se adaptar à nova rotina independe da idade de ambos. "Há aqueles jovens que não têm problema e alguns mais maduros que sentem mais dificuldade de se organizar", afirma Menzel.

Um dos estresses no casamento com a chegada de um bebê, principalmente no primeiro ano, é a falta de tempo que a mulher tem com o marido - e vice-versa. Por isso, é fundamental criar momentos a sós para o casal, como sair para jantar, ir ao cinema, teatro. "No entanto, para a mulher, nos primeiros meses com o bebê em casa, sair, mesmo que por uma horinha, pode ser motivo de grande ansiedade", diz Ana Menzel, psicóloga do Hospital Israelita Albert Einstein (SP).

*Os nomes são fictícios. A entrevistada preferiu não se identificar.

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também