Superando o desafio de mudar de cidade

Superando o desafio de mudar de cidade

Atualizado: Quarta-feira, 2 Abril de 2008 as 12

Superando o desafio de mudar de cidade

Quem não sonha crescer e se estabilizar profissionalmente? Mas quando essa ascensão exige a mudança de cidade? Desistir é a melhor opção, afinal enfrentar a família não seria nada fácil, correto? Errado! Pode até ser complicado, mas se você está certa de que a nova função ou o novo emprego vai ser bom, tanto para você quanto para a sua família, mãos à obra.

Muitas mulheres, ao receberem uma proposta de emprego em outra cidade, já desistem de cara com medo das reações do marido e dos filhos. A psicóloga Andréa Moraes afirma que atitudes precipitadas como essa podem trazer arrependimento para a vida toda, por isso é bom analisar. "Todo processo de mudança gera ansiedade, mas a pessoa não deve sofrer por antecipação", aconselha.

O primeiro passo para quem pretende mudar de cidade a trabalho, de acordo com a psicóloga, é conhecer o lugar. "Se você vai mudar de região é bom que conheça os hábitos e como é a vida social no local. Há pessoas que têm necessidade de uma vida social agitada, então neste caso é importante saber se o local vai corresponder à expectativa", destaca.

Segundo Andréia, a insegurança de início é comum, mas, se ela persistir algo precisa ser revisto. "Antes de tomar essa importante decisão a mulher tem que analisar se o ganho será maior que a perda, caso contrário, nem ela e nem a família se adaptarão ao novo estilo de vida".

Como lidar com a resistência dos filhos

Se essa mudança inclui a família, ela deve estar a par de tudo. As decisões devem ser discutidas em conjunto, colocando os prós e os contras. A resistência por parte dos filhos é muito normal, já que há uma vida estabelecida socialmente. Mas, para a psicóloga, se houver insistência, a mãe, juntamente com o pai, deve optar por uma conversa mais séria e mais rígida.

"É preciso saber que os filhos, assim como os próprios pais, também estão passando por uma fase difícil de mudança. O diálogo é fundamental nesses momentos", aconselha Andréia.

A psicóloga acredita que a educação dada aos filhos é um fator fundamental para aceitação. "Quando há um bom diálogo, uma boa vivência em família, dificilmente os filhos vão criar situações insustentáveis. Se caso a resistência for grande, é necessário rever todo processo educacional e familiar em que estão inseridos. Por que se há persistência é sinal de que alguma coisa que não foi bem alicerçada anteriormente".

"Uma conversa argumentando que não há como reverter a situação, já que se trata de questões profissionais que visam o próprio bem-estar deles, é uma forma de fazê-los entender o motivo da mudança de cidade", acrescenta a psicóloga.

veja também