Tendências de 2010 para a Perfumaria Internacional

Tendências de 2010 para a Perfumaria Internacional

Atualizado: Terça-feira, 23 Fevereiro de 2010 as 12

As tendências de comportamento de mercado para 2010 apontadas por Michael Edwards, maior especialista em fragrâncias do mundo, em seu livro Fragrances of the World 2010, mostram que os perfumes clássicos estão de volta, junto com a busca por fragrâncias mais exclusivas e personalizadas e a consolidação das fragrâncias de nicho.

Na verdade, fragrâncias de nicho são perfumes exclusivos lançados por marcas alternativas. Ou seja, produtos lançados em menor escala, para uma clientela mais seleta. Os preços são mais elevados devido ao uso de matérias-primas de maior qualidade ou mais raras, que na chamada perfumaria de massa são escassas, pois não são financeiramente viáveis.

Uma grande diferença visível nas fragrâncias de nicho é a liberdade de criar que o perfumista tem. É que ele tem maior autonomia, maior diversidade de matérias-primas a sua disposição e um orçamento mais flexível.

Em termos de embalagem, algumas marcas de nicho investem pesado em frascos e embalagens de muito luxo, como Clive Christian e By Kilian; outros apresentam frascos muito simples, mas conceituais, como Biehl, Le Labo e Frederique Malle; e finalmente outros que apostam suas fichas na criatividade, como Bond Nº9, John Varvatos, ou Juliette Has a Gun, e Romano Ricci, que lançou perfume em forma de bala de revólver.

Já o marketing e a publicidade no mundo do nicho são muito voltados ao conceito da marca. Seja uma coleção para os diferentes tipos de personalidades, uma galeria de perfumistas e suas criações, elementos da natureza ou até temas extremamente proibidos para menores, como os perfumes de Etat Libre D’Orange inspirados em figuras controversas, como Tom of Filand, ou em referência nada ortodoxas como Secretions Magnifiques (Secreções Magníficas) ou Jasmim et Cigarettes (Jasmim e Cigarros).

Aqui no Brasil, a perfumaria de nicho está ainda começando. Podemos encontrar uma tímida quantidade de marcas. As francesas Annick Goutal e Rancé; as americanas Tom Ford, Ed Hardy e Dsquared2, e as italianas Santa Maria Novella, Acqua di Parma e Acca Kappa.

Procurando criar perfumes mais exclusivos, as grandes marcas também lançaram coleções especiais numa tentativa de agradar o público de luxo, tais como Hermès, com sua coleção Hermessences; Chanel com Les Exclusifs, Estée Lauder com Private Collection, Cartier com Les Heures de Parfum, e Dolce & Gabanna com Anthology, entre outros.

Verdade é que no mercado internacional, não somente as marcas de nicho sofreram um boom nos últimos 5 anos, mas também já podemos distribuí-las em duas categorias: nicho especial e nicho semi-comercial. São tantas marcas novas, com tantos lançamentos, que algumas já estão pendendo para a perfumaria de massa.

Em 2010,Michael Edwards prevê a consolidação dessas marcas com seu lugar garantido no mercado. O Brasil está engatinhando em relação aos outros países, está na hora de correr atrás do prejuízo!

Matéria escrita por Simone Shitrit - formada em Direito e administração de empresas. Atualmente trabalha no ramo da beleza como especialista em fragrâncias e consultora olfativa. Autora e editora do blog internacional sobre perfumes, perfumistas e perfumaria + Q Perfume Blog e do + Q Perfume Trends & Blends, que fala sobre tendências, lançamentos e tecnologias olfativas. É também crítica colaboradora do site americano PerfumeCritic.com e do site alemão Essenza Nobile

veja também