Trnanstorno obsessivo compulsivo na infância

Trnanstorno obsessivo compulsivo na infância

Atualizado: Terça-feira, 12 Julho de 2011 as 8:25

O (TOC) Transtorno Obsessivo Compulsivo se inicia freqüentemente na infância e suas características são pouco conhecidas pelos pais. Há evidências de que o tratamento precoce minimiza os possíveis prejuízos do (TOC.

O transtorno obsessivo compulsivo se caracteriza basicamente pela repetição de atos, rituais, pensamentos e atividades que a pessoa sabe que não fazem sentido, mas que não consegue evitar. Se não executá-los passa por uma ansiedade brutal ou acha que poderá acontecer algo de ruim para si ou para outras pessoas. O indivíduo tem consciência de que os rituais ou pensamentos não têm lógica e não são necessários, mas é incapaz de evitá-los.

Na infância o quadro clínico do transtorno é bastante semelhante ao do adulto e assim como eles, as crianças tentam ocultar seus sintomas. O (TOC) além de prejudicar a educação e o desenvolvimento das amizades pode se tornar uma doença crônica e limitante.

O indivíduo que tem a doença está sujeito o ter fases de depressão e crises de ansiedade com sintomas físicos, como suores excessivos, palpitações e tremores.

A criança portadora do (TOC) é escrava de seus próprio pensamentos (obsessões) e repetições de gestos (compulsões). Os pensamentos continuados geram angústia e ansiedade e as ações compulsivas são uma tentativa de controlá-los. Lavar as mãos incontáveis vezes, por exemplo, tem por objetivo aliviar o incômodo trazido pelo pensamento obsessivo de estar sempre sujo. Só que o alívio é temporário e o pensamento ressurge, desencadeando novamente as compulsões.

Nas crianças, os sintomas mais comuns da doença são:

Qualquer ritual diário de higiene, repetitivo e exagerado. Repetição de ações, como de uma escrita ou leitura. Checagens compulsivas, como, por exemplo, da tarefa escolar. Contagem, por exemplo, contar as lâminas de uma persiana várias vezes. Simetria, por exemplo, na arrumação das roupas no armário. Geralmente, essas manias obsessivas consomem muito tempo, gerando angústia e ansiedade tanto para a criança quanto para seus familiares.

Dada a possibilidade de tratamento e prevenção é importante a orientação dos profissionais, que trabalham com crianças, a identificarem os possíveis casos, pois na maioria das vezes, a criança não tomará espontaneamente a iniciativa de queixar-se dos sintomas obsessivos compulsivos. Em relação ao tratamento deste transtorno é recomendado associar medicamento e psicoterapia.  

veja também