Um novo membro na família deve ser inserido de maneira saudável. Saiba como

Relacionamento com irmãos é um desafio para as crianças

Atualizado: Sexta-feira, 9 Março de 2012 as 11:35

Há duas situações pontuais e muito observadas na sociedade atual: pais que se separam e depois se relacionam com outra pessoa que já tem filho, ou que geram filhos de um novo casamento. Independentemente da situação, ter um novo irmão, vindo de forma diferente, é algo complicado para uma criança entender por isso um novo membro da família. Seja ele de sangue ou por proximidade, inserir de forma saudável outra criança no convívio depende muito de como esta aproximação será realizada pelos pais.

Em entrevista a Arca Universal a psicóloga Blenda de Oliveira, alertou que as devidas apresentações devem acontecer no momento certo. “Primeiro elas devem ocorrer quando os adultos estiverem muito certos de que querem estar juntos, porque as crianças se apegam com facilidade, criam expectativas. Segundo, é melhor dizer que está namorando outra pessoa, trazê-la e só depois explicar que ela também tem um filho. O que não pode é chegar tudo de uma vez, porque isso causa muita confusão.”

No caso de ser um meio-irmão, ou seja, uma criança que é fruto de um novo casamento, é importante que os pais invistam neste encontro entre eles e mostrem as vantagens da nova companhia. “Com isso, criando situações de diversão, de conversas, para que eles encontrem, naturalmente, um ponto em comum para se dar bem”, explica Blenda.

veja também