Uma decisão inteligente para a família

Uma decisão inteligente para a família

Atualizado: Sexta-feira, 14 Junho de 2013 as 3:30

famíliaAcredito que vocês conhecem alguém que já passou por isso.
 
O texto de Josué 21.43-45 é tido por alguns estudiosos da Bíblia como “o resumo do livro de Josué”, ou seja: a ideia que domina o livro inteiro é a fidelidade de Deus às suas promessas! Tudo o que Senhor havia prometido, se cumpriu! Sendo assim, se há promessa de Deus na sua vida pessoal, ou na sua vida familiar, aguarde. Ele cumprirá, porque ele é fiel.
 
Quando chegamos nos capítulos 23 e 24, vemos Josué convocando o povo para uma decisão importante e inteligente: de servir a Deus. É importante entendermos que os vv.14-15 do cap.24 estão num contexto de renovação de aliança, Josué convoca as famílias, e pede que elas se decidam, contudo deixa clara a sua decisão: “Eu e minha casa serviremos ao Senhor”.
 
Diante de tantos “deuses falsos”, que tentam receber a adoração dos membros da família em nossos dias, é importante que nos lembremos das palavras de Jesus: “Ninguém pode servir a dois senhores, porque ou há de odiar a um e amar ao outro, ou se dedicará a um e desprezará ao outro. Não podeis servir a Deus e a mamon” (Mt 6.24).
 
Assim como o Espírito Santo impulsionou Josué a convocar o povo de Deus a tomar esta decisão entre os anos de 1451 a 1427 a.C., o mesmo Espírito Santo de Deus nos impulsiona a tomarmos a decisão de servir ao Senhor, mas de fato!
 
Os versículos iniciais do Cap 23 mostram-nos que, após muitas guerras, o Senhor concedeu um período de paz para Israel, em relação a todos os seus inimigos. Então Josué, sendo já velho, chama todo o povo de Israel, os anciãos, os cabeças do povo, seus juízes e oficiais, a fim de exortá-los a obedecer as leis do Senhor.
 
Deus havia cumprido suas promessas e lhes dado vitórias sobre todos os inimigos, mas ainda havia algumas terras por conquistar, ainda havia muito trabalho pela frente. Por isso, a decisão de servir ao Senhor deveria ser sacrificial. A expressão “esforçai-vos” do v.6 mostra-nos isso! Mas “Esforçai-vos” para quê? Para servir ao Senhor!
 
A confiança do povo deveria estar unicamente em Deus, mesmo que habitando em terras onde os povos eram politeístas, Israel deveria se esforçar para obedecer, servir e adorar ao único Deus Vivo.
Hoje também a decisão de servir ao Senhor é sacrificial. Exige esforço e dedicação exclusiva ao Senhor. É algo sério, exige renúncia! Faz-se necessário “deitar fora os deuses estranhos”.
 
Quais são hoje os deuses estranhos que você e sua família precisam deitar fora?! Gostaria de mencionar alguns: todo o tipo de idolatria, não só imagens de escultura “santos” ou anjos, mas também a homens e mulheres, dinheiro, trabalho, comida, futebol, sexo, pornografia etc. Tudo aquilo que toma o lugar de Deus em nosso coração, em nossa mente, é um ídolo, que precisa ser rejeitado. Por isso, muito cuidado, com o que você permite entrar em seu coração e fazer morada, pois isso pode trazer enormes prejuízos para a sua vida familiar. Tome, portanto, a decisão de servir ao Senhor, e faça isso de forma sacrificial, abrindo mão do que preciso for.
 
Fazemos sacrifícios por tantas coisas menos importantes, por que não para servir e agradar ao nosso Salvador e Senhor? E a Palavra diz: “Os sacrifícios para Deus são o espírito quebrantado; a um coração quebrantado e contrito não desprezarás, ó Deus” (Sl 51.17)
 
 
- Pr. Moisés Laurentino da Silva

veja também