Vá com calma!

Vá com calma!

Atualizado: Segunda-feira, 6 Julho de 2009 as 12

Há um conflito que acontece constantemente na juventude das igrejas e que precisa acabar. Trata-se da pressão que muitos pais e, às vezes, a própria igreja fazem sobre os jovens cristãos solteiros. Ora, Deus não obriga ninguém a casar. Alguns pais começam a entrar em desespero quando seus filhos começam a namorar. Daí a idéia de achar que casando tudo se resolve.

Há tempo para todas as coisas. A juventude precisa crescer em espírito, em caráter, e amadurecer como pessoa. Jovens que casam muito cedo acabam por perder grandes experiências com seus irmãos na fé. O adolescente precisa entender que no meio de um grupo de jovens, até que se prove o contrário, todos são irmãos. Essa amizade é muito gratificante e traz grande alegria.

Um casamento precipitado pode destruir a vida de duas pessoas para sempre. O namoro e o noivado têm por si só um tempo determinado por Deus para que o casal se conheça e saiba analisar se vale a pena subir ao altar. Apressar etapas é no mínimo tolice.

Muitos pais vêem o casamento como solução para a imoralidade sexual e o pecado da fornicação. Essas idéias acabam convencendo o jovem de que o casamento o libertará de seus dilemas sexuais.

É claro que o casamento fecha a porta para o pecado da fornicação, mas abre a porta para outros pecados, como o adultério, desrespeito ao conjugue e má educação dos filhos, entre outras coisas. Seria como tapar o sol com a peneira. Então, qual seria a solução para a questão? Ela é tão simples que muitos não conseguem enxergar: "SANTIFICAÇÃO”. Ora, ninguém é de ferro. O ser humano manifesta uma série de reações no corpo quando ama o sexo oposto. O coração bate mais rápido, a pressão arterial sobe, as pupilas dilatam, a temperatura pode variar bruscamente, o estômago revira e as mãos suam e tremem, entre outros inúmeros indícios.

Saber lidar com isso tudo não é muito fácil para quem está começando a descobrir o amor. Deus, porém, não pôs a atração física entre homem e mulher para vê-los sofrendo. Ao contrário, ele deseja realizar plenamente seus filhos, mas os ensina a fazer tudo em seu tempo. Por isso, existem etapas a serem aprendidas.

A renúncia à natureza pecaminosa só é vencida quando a pessoa se alimenta da Palavra de Deus e busca a Sua presença continuamente. Quando uma pessoa conversa com Deus sobre os seus desejos sexuais, seus pensamentos e suas vontades mais íntimas, Deus se alegra em tomar parte de um assunto tão importante e faz dessa pessoa a menina de seus olhos.

Muitos pecam em achar que determinados assuntos, como sexo, não devem ser conversados com Deus em oração. Algumas pessoas ainda carregam dentro de si a idéia de que Deus é muito santo para falar de sexo. Ora, não se pode esquecer que foi Ele quem criou toda essa maravilha para abençoar os seus filhos. A única exigência que Ele faz é que se casem primeiro, pois sexo é privilégio de casados.

A verdade é que um fornicário não vai renunciar à sua condição pecaminosa só por ter casado; casamento não liberta ninguém da imoralidade.

O que deve ser bem entendido é que quando Paulo fala em 1Coríntios 7:9 caso, porém, não se dominem, que se casem; porque é melhor casar do que viver abrasado, o versículo não está incluído naquilo que Paulo chama de "mandamento do Senhor”, mas de conselho pessoal.

O jovem precisa passar por várias fases importantes antes de se casar. Quando uma delas é pulada, a chance de entrar em um casamento despreparado é muito grande. Assim, arrisca a sua própria felicidade e a do futuro cônjuge.

veja também